Procurador demitido investigava ministro da saúde de Trump

Foto17 Preet Bharara Procurador demitido investigava ministro da saúde de Trump
Preet Bharara investigava o Ministro da Saúde Tom Price; suspeito de se beneficiar de conhecimentos obtidos no Congresso para investir na Bolsa de Valores

Preet Bharara, que ocupava o cargo desde 2009, foi demitido por Trump depois de recusar a solicitação para deixar o cargo

O ex-Procurador Público Federal Preet Bharara estava investigando um membro do gabinete do Presidente Donald Trump quando foi demitido, segundo um comunicado emitido na sexta-feira (17). Ele, com outros 45 procuradores federais que foram solicitados a deixar o cargo semana passada, investigava o caso envolvendo o mercado de ações e o Ministro da Saúde & Serviços Humanos Tom Price.

O ministro, que está ocupado promovendo a substituição do programa de saúde Obamacare, alega não ter feito nada ilegal quando negociou ações de seguradoras de saúde, mesmo quando estava envolvido em legislações enquanto servia a Câmara dos Deputados. Em dezembro, o Wall Street Journal divulgou que Price negociou mais de US$ 300 mil em ações de companhias de saúde durante o período de 4 anos. Na ocasião, ele atuava no Congresso e isso pode ter afetado essas companhias.

Durante sua confirmação ao cargo de ministro, Price alegou que as transações foram feitas por um investidor representante, portanto, sem o seu conhecimento. Um legislador democrata pediu que o legislador da Geórgia fosse investigado pela Comissão de Segurança & Câmbio (SEC).

“O fato que essas transações foram feitas e em muitas ocasiões no tempo certo para obter grandes lucros ou evitar perdas levaria qualquer pessoa razoável a questionar se tais transações foram motivadas por conhecimento interno”, disse a Deputada Louise Slaughter, representante de Rochester (NY) na ocasião.

Bharara, que ocupava o cargo desde 2009, foi demitido por Trump depois de recusar a solicitação para deixar o cargo. A decisão causou surpresa, pois anteriormente o presidente o havia pedido pessoalmente para permanecer no cargo.

O ex-procurador, que se tornou destaque na imprensa, era conhecido por investigar políticos corruptos, incluindo o antigo porta-voz da Assembleia, Sheldon Silver, e o antigo líder da maioria no Senado, Dean Skelos, ambos condenados pela Procuradoria em 2016. Ele também conduzia a investigação contra o Canal Fox News; acusado de esconder pagamentos a funcionários que teriam sofrido abuso sexual por parte dos investidores. Na segunda-feira (13), um auxiliar top de Trump alegou que a demissão de Bharara era “muito barulho por nada”.

A conselheira da Casa Branca, Kellyanne Conway, tentou “abafar o caso” que o antigo procurador estava investigando. “Isso simplesmente não é notícia”, disse ela no programa “Fox & Friends”; no mesmo canal de TV que Bharara investigava.

 

 

Sobre o autor

O jornalista Leonardo Ferreira é formado em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA, sediada no Rio de Janeiro - RJ.

Related posts

Comentários

Send this to a friend