Recipientes de asilo devem aplicar para o green card antes da cidadania

Foto14 Green Card 1024x683 Recipientes de asilo devem aplicar para o green card antes da cidadania
Antes de adquirirem a cidadania dos EUA, os aprovados para asilo devem se tornar residentes legais permanentes (green card)

Os imigrantes aprovados para asilo devem, em seguida, se tornar residentes legais permanentes

Para se tornar um cidadão dos Estados Unidos, os imigrantes que tiveram os pedidos de asilo aprovados devem, em seguida, se tornar residentes legais permanentes junto ao Departamento de Cidadania & Serviços Migratórios (USCIS). Para isso, o formulário que deve ser preenchido é o I-485; um ano depois de o indivíduo ter recebido o asilo. Dessa forma, o USCIS considera retroativa em 1 ano a data da emissão da residência permanente. Sendo assim, os candidatos qualificam para a cidadania dos EUA com 4 anos de green card ou 2 anos se o imigrantes for casado com um cidadão americano. As aplicações pode ser apresentadas 3 meses antes que completem 2 ou 4 anos da aquisição da residência permanente.

. Imigrantes tentam o país vizinho:

A quantidade de imigrantes que cruzaram clandestinamente a fronteira entre os EUA e o Canadá mais que triplicou em julho, segundo dados divulgados pelo governo canadense na quinta-feira (17). Inúmeros imigrantes temem que o combate da administração Trump à imigração ilegal se intensifique na região norte do país. No mês passado, mais de 3.100 pessoas que cruzaram a divisa entre os dois países para apresentar pedidos de asilo foram detidas, em contraste com 884 em junho, informou o governo federal.

Aproximadamente, 96% deles rumaram para a província de Quebec, cujo o idioma principal é o francês, especialmente haitianos, o que provocou a oposição de políticos e grupos contra os imigrantes. Nos primeiros 15 dias de agosto, 3.800 imigrantes foram detidos ai cruzar a fronteira dos EUA rumo a Quebec, disse a Polícia Real Montada Canadense. Mais de 1 mil pessoas estão vivendo em tendas e instalações governamentais em Saint Bernard de Lacolle, na divisa com Nova York.

“Não se trata de uma crise. É uma situação extraordinária, entretanto, bem administrada”, disse o ministro dos transportes, Marc Garneau, aos repórteres na quinta-feira (17).

O Canadá enfrenta dificuldades em abrigar e oferecer assistência social para o fluxo de pessoas que buscam asilo e o sistema que processa os refugiados enfrenta o pior congestionamento dos últimos anos. O Comitê de Imigração & Refugiados (IRB), que é responsável por avaliar todos os pedidos de asilo, transferiu recursos para lidar com as chegadas a Quebec.

“O IRB teve que fazer ajustes para estar em posição de responder à situação atual que é  insustentável”, disse a porta-voz Ana Pape.

O Canadá iniciou uma campanha para combater a noção errônea sobre a política de refugiados no país, que pode ser uma das causas no aumento no fluxo de refugiados.

“Pedir asilo no Canadá não é garantia de residência permanente no país e é extremamente importante que destaquemos isso”, disse o porta-voz do Ministério de Imigração, Louis Dumas.

Muitos dos imigrantes que buscam asilo em Quebec são haitianos que podem ser deportados dos EUA quando o status de proteção temporária expirar em janeiro de 2018.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend