Republicano “caçador de ilegais” é preso por fraude

12 2 Republicano “caçador de ilegais” é preso por fraude
Michael Williams em frente ao “ônibus da deportação”, durante a campanha para governador da Geórgia, em 2017

Michael Williams é acusado de fraude envolvendo seguro, preencher falsamente um boletim de ocorrência (BO) e dar testemunho falso

Quando ele concorreu ao cargo de governador na Geórgia em 2017, Michael Williams foi destaque na imprensa por ter prometido embarcar imigrantes indocumentados no “ônibus da deportação” dele e enviá-los de volta ao México. Atualmente, ele é manchete na mídia novamente, mas desta vez por ser acusado de ter cometido um crime. William, um ex-senador estadual que perdeu a disputa nas eleições primárias na Geórgia, entregou-se à polícia, na quarta-feira (26), depois de ser acusado de fraude envolvendo seguro, preencher falsamente um boletim de ocorrência (BO) e dar testemunho falso.

O “caçador de ilegais” se apresentou na Penitenciária do Condado de Hall e foi liberado no mesmo dia depois de pagar fiança, informou Derreck Booth, porta-voz do escritório do xerife do Condado de Hall. As acusações contra ele são resultados de um incidente ocorrido em maio no escritório de campanha dele. William alegou que o local havia sido arrombado e o chefe de campanha dele disse que computadores servidores, avaliados em US$ 300 mil, haviam sido levados do prédio, conforme o canal de TV WSB em Atlanta (GA).

Os equipamentos eram usados em transações de transferências de fundos. Williams é acusado de ter mentido para um agente do Bureau de Investigações da Geórgia e fazer alegações falsas à companhia seguradora sobre o incidente. O advogado de defesa do acusado, A.J. Richman, disse que o cliente dele é inocente e que não fez nada de errado.

“Enquanto realizava comícios na campanha para governador na Geórgia, ele foi informado que as máquinas usadas nas transferências de fundos no escritório dele haviam sumido”, relatou Richman à rede de notícias CNN. “Um membro da equipe do Senador Williams preencheu o boletim de ocorrência policial em maio. Aqui estamos nós, mais de seis meses depois, e agora o Senador Williams é acusado. Devido ao fato de o processo do grande júri ser secreto e somente envolver o promotor público e o agente de polícia, nós não fomos informados sobre o que foi dito na ocasião. O agente contou o lado dele da estória e nós não fomos permitidos ouvir, comentar, interrogar o agente ou apresentar a nossa versão da estória até o julgamento”.

. Viagens no “ônibus da deportação”:

No início de 2018, Williams fez parte de um grupo de candidatos que tentavam a nomeação republicana para disputar a governador. Ele se destacou imitando a abordagem do Presidente Donald Trump com relação à imigração. Ele circulou pelo estado a bordo do ônibus cinza e branco, batizado de “ônibus da deportação”. O veículo foi pintado com as frases “Encha esse ônibus de ilegais. Vote em Michael Williams” e na parte traseira: “Siga-me até o México”.

Durante a campanha, Williams disse que a mensagem dele era simples: Iluminando o que ele alegava ser “os perigos das cidades santuário e o problema amplo da imigração ilegal”. A postura política dele atraiu muita atenção, mas também provocou raiva. Marco Esparza, radialista da La Raza, uma estação de rádio em espanhol em Atlanta, postou fotos do ônibus no Facebook, após um ouvinte ter-lhe enviado as imagens. Tais fotografias geraram dezenas de comentários demonstrando ultraje.

“Nojento e racista! É por isso que nós, enquanto latinos, devemos VOTAR como nunca antes para defender a nossa comunidade e EXIGIR respeito”, disse um ouvinte.

Toda essa atenção não ajudou a campanha de Williams, pois em  maio ele terminou em último lugar entre os 5 candidatos, com 4.8% dos votos.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend