Ryan: Trump não pode cancelar cidadania automática

Foto3 Donald Trump e Paul Ryan Ryan: Trump não pode cancelar cidadania automática
“Você não pode acabar com a cidadania automática com uma ordem executiva”, disse Ryan (dir.)

“Bem, você obviamente não pode fazer isso”, disse o porta-voz da Câmara dos Deputados Federais

Na terça-feira (30), o presidente da Câmara dos Deputados, Paul Ryan, jogou água fria no plano do Presidente Donald Trump de acabar unilateralmente com o direito constitucional de cidadania para bebês nascidos nos Estados Unidos, cujos pais não são cidadãos americanos. O termo é conhecido juridicamente como “Jus Solis” (Direito do solo).

“Você não pode acabar com a cidadania automática com uma ordem executiva”, disse o republicano de Wisconsin durante uma entrevista com a estação de rádio WVLK, em Lexington, Kentucky. “Bem, você obviamente não pode fazer isso. Você sabe, como conservador, eu acredito em seguir o texto claro da Constituição e acho que, neste caso, a 14ª Emenda é bastante clara e isso envolveria um processo constitucional muito, muito longo”, acrescentou.

A poucos dias das eleições intermediárias, Trump disse que quer terminar unilateralmente o direito constitucional de cidadania para bebês nascidos nos EUA. O líder da nação delineou sua mais recente posição contra os imigrantes indocumentados durante uma entrevista no programa “Axios” no canal HBO, na qual ele alegou ter autoridade legal para derrubar o direito, que está consagrado na 14ª Emenda da Constituição.

“Sempre me foi dito que você precisava de uma emenda constitucional. Adivinha? Você não”, disse Trump, insistindo que ele poderia fazê-lo através de ordem executiva.

“Você pode definitivamente fazê-lo com um ato do congresso. Mas, agora eles estão dizendo que eu posso fazer isso apenas com uma ordem executiva”, ele disse, acrescentando incorretamente:“ Somos o único país do mundo onde uma pessoa entra e tem um bebê e o bebê é essencialmente um cidadão dos Estados Unidos”.

Aproximadamente 30 países, incluindo o Canadá, oferecem cidadania automática aos bebês nascidos de pais indocumentados. A maioria dos estudiosos do direito concordou com Ryan de que Trump não pode mudar unilateralmente a Constituição dos EUA e eles previram uma contundente batalha legal se ele tentasse.

Na quarta-feira (31), Trump criticou o comentário feito por Ryan, insistindo que ele tem a autoridade suficiente para cancelar sozinho a cidadania automática dos filhos de imigrantes que não são cidadãos americanos.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend