Sequestrador que extorquiu imigrantes pega 11 anos de prisão

Foto3 Rodoviaria Port Authority Sequestrador que extorquiu imigrantes pega 11 anos de prisão
Os golpes de sequestro e extorsão ocorriam depois que os imigrantes chegavam na rodoviária do Port Authority (detalhe), em Manhattan (NY)

Pascual Rodriguez, de 51 anos, será posto em processo de deportação depois de cumprida a sentença

Na terça-feira (2), o procurador de justiça do distrito de Connecticut, John H. Durham,  anunciou que Pascual Rodriguez, de 51 anos, natural da República Dominicana, morador em Nova York, foi sentenciado pelo juiz distrital dos EUA, Stefan R. Underhill, em Bridgeport (CT), a 11 anos e 2 meses de prisão por participar de um esquema de sequestro e extorsão de imigrantes e suas famílias.

De acordo com documentos judiciais e declarações feitas em tribunal, em várias ocasiões, Rodriguez abordou as vítimas depois que elas saíram de ônibus na Rodoviária em Manhattan (NY). As vítimas incluíam mulheres, homens e crianças de países da América Central que não falavam inglês e pediam asilo nos EUA. Rodriguez, às vezes se passando por um oficial de imigração, disse falsamente às vítimas que seu ônibus estava indisponível e pediu às vítimas pelo número do telefone de um membro da família nos EUA. Ele então contatou os membros da família e informou-os de que as vítimas não podiam viajar de ônibus e que ele providenciaria o transporte das vítimas em troca de dinheiro. Rodriguez então levou as vítimas ao comparsa dele, Lucilo Cabrera, que conduziu as vítimas durante várias horas, recusando-se a libertá-las até que suas famílias concordassem em pagar o valor exigido por eles.

Rodriguez foi mantido detido desde sua prisão em 23 de janeiro de 2018. Em 12 de outubro de 2018, ele se declarou culpado da acusação de sequestro. Ele será posto em processo de deportação quando cumprida a sentença.

Em 9 de março de 2018, um júri federal em Bridgeport considerou Cabrera, Francisco Betancourt e Carlos Antônio Hernandez culpados das acusações relacionadas ao esquema de extorsão e sequestro. Os 3 réus aguardam a sentença.

A investigação foi conduzida pelo Federal Bureau of Investigation e o caso levado à justiça pela promotora pública federal, Vanessa Richards.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend