Sobreviventes da chacina em El Paso recusam visita de Trump

Foto7 University Medical Center de El Paso Sobreviventes da chacina em El Paso recusam visita de Trump
Ryan Mielke, porta-voz do University Medical Center (detalhe) em El Paso, informou que os pacientes não tinham a obrigação de receber a visita de Trump

Vários familiares dos detidos expressaram ultraje pelo fato de o Presidente ter ido ao Texas depois dos comentários controversos feitos por ele

Nenhum dos 8 pacientes ainda internados no hospital, depois de terem sido baleados numa filial do Walmart em El Paso (TX), consentiu a visita do Presidente Donald Trump, na quarta-feira (7). O jornal Washington Post publicou que 2 feridos já liberados retornaram aos hospital acompanhados por membros de suas famílias para se encontrarem com Trump.

Ryan Mielke, porta-voz do University Medical Center em El Paso, informou que os pacientes não tinham a obrigação de receber a visita presidencial.

“Esse é um momento bastante sensível na vida deles”, comentou o porta-voz. “Alguns deles (pacientes) disseram que não queriam se encontrar com o Presidente. Alguns deles não queriam a visita de ninguém”. Entretanto, ele detalhou que, antes da visita de Trump, muitos dos hospitalizados aceitaram visitas das autoridades locais e legisladores democratas.

Na quarta-feira (7), o Presidente e comitiva foram ao University Medical Center. Ele conversou com algumas famílias dos feridos na chacina, entretanto, duas famílias que estavam no hospital se recusaram a se encontrar com ele. Dois feridos que já haviam recebido alta do hospital retornaram ao local acompanhados de parentes para conversar com o Presidente.

Uma menina ferida na perna e já liberada do hospital disse que o pai dela permanece internado em estado crítico e que os familiares deles se recusaram a falar com Trump.

“A família inteira disse que, se ele quiser ir ao quarto, não. Nós não o queremos no quarto do paciente e respeitamos a opinião de toda a nossa família”, disse Letícia Mariscal ao canal de TV local KFOX-14. “Porque da forma que ele fala contra os mexicanos, contra os hispânicos, então, nós não queremos conversar com uma pessoa que está contra os nossos mexicanos”.

A família disse que sentiu ofendida pelo fato de Trump ter ido a El Paso depois dos comentários controversos feitos por ele.

“Eu gostaria que ele não tivesse que vir. Eu acho que ele somente veio para armar um circo. Ele foi a pessoa que fomentou todo esse ódio contra os mexicanos; acho que ele esqueceu aquilo que disse”, disse Saul Chavez.

A administração do hospital informou que dá as boas vindas a Trump e agradece o apoio.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend