Trump quer “despejar” indocumentados em cidades-santuário

Foto19 Donald Trump Trump quer “despejar” indocumentados em cidades santuário
“Vamos movê-las para cidades-santuário”, disse Trump durante um evento não relacionado ao tema

Trump postou no Twitter que ele estava avaliando provar um ponto político; um dia depois que a Casa Branca negou firmemente

Na sexta-feira (12), o Presidente Donald Trump disse que os EUA começariam a “despejar” imigrantes indocumentados em cidades-santuário; acrescentando que a medida tornaria a “esquerda radical … muito feliz!”

“Estamos avaliando profundamente em manter as pessoas durante o período de 20 dias, porque não temos permissão legal para detê-las mais do que isso, vamos movê-las para cidades-santuário”, disse Trump durante um evento não relacionado ao tema.

O limite de 20 dias, que a administração queria que fosse estendido, faz parte do chamado “acordo Flores”, o qual obriga as autoridades federais libertarem os detentos não criminosos e que não sejam cidadãos após 20 dias.

Anteriormente, Trump havia postado no Twitter que ele estava avaliando provar um ponto político; um dia depois que a Casa Branca negou firmemente.

“Devido ao fato de que os democratas não estão dispostos a mudar nossas leis de imigração muito perigosas, estamos de fato, como o relatado, avaliando profundamente pôr os imigrantes ilegais apenas em cidades-santuário”, fiz a postagem no Twitter.

“A esquerda radical sempre parece ter uma política de fronteiras abertas, de braços abertos, então, isso deve torná-los muito felizes!” Acrescentou.

Na quinta-feira (11), um funcionário da Casa Branca e um porta-voz do Departamento de Segurança Interna (DHS) disseram que a proposta não estava mais em pauta.

“Esta foi apenas uma sugestão que foi apresentada e rejeitada, portanto, não merece ser mais comentada”, disse a Casa Branca.

Entretanto, Trump confirmou relatos nesta semana de que queria transferir milhares de solicitantes de asilo para as cidades-santuário, visando aliviar o acúmulo de pessoas na fronteira e ao mesmo tempo aplicar um golpe político nos democratas.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, cujo distrito São Francisco estava entre os que a Casa Branca queria alvejar, criticou a equipe de Trump por usar as crianças como “marionetes” em seu esforço para demonizar os imigrantes. O democrata número 2 da Câmara dos Deputados, Steny Hoyer, de Maryland, criticou a ideia de usar o ICE, os militares ou qualquer agência federal “para penalizar” as cidades-santuário “por razões políticas”.

“Isso não é o ato de um governo democrático”, disse Hoyer.

O deputado democrata, Bennie Thompson, do Mississippi, que preside o Comitê de Segurança Nacional, também criticou o plano de Trump.

“O fato de essa ideia ter sido considerada, não uma vez, mas duas vezes, serve como um lembrete de que a imprudente agenda de imigração do governo Trump não é sobre manter o país seguro, mas sobre política partidária e cruelmente infligir crueldade”, comentou.

Há aproximadamente 200 estados, municípios e cidades que se declararam como santuários, incluindo Nova York, Newark, São Francisco, Boston e Filadélfia.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend