YouTuber brasileiro diz que não se casou por interesse em legalização

Foto13 Jones Sathler YouTuber brasileiro diz que não se casou por interesse em legalização
Em contrapartida, Jones Sathler afirma que Marcos Bonfim mente ao se identificar como policial (Foto: Redes sociais)
Foto13 Marcos Bonfim 1 YouTuber brasileiro diz que não se casou por interesse em legalização
Marcos Bonfim disse que entregaria o vídeo de Jones Sathler ao ICE; denunciando o conterrâneo (Foto: Redes sociais)

A disputa entre Sathler e Bonfim chamou a atenção de internautas nas redes sociais e foi publicada pelos jornais nas comunidades

Semana passada, vários jornais comunitários, liderados pelo Brazilian Times, publicaram a briga envolvendo o YouTuber Jones Sathler e agente da King Special Police na Carolina do Norte, Marcos Bonfim. A disputa tem gerado polêmica nas redes sociais, onde eles trocam ofensas, incluindo um vídeo postado por Marcos no qual Sathler diz que “casou para se legalizar”. O policial adiantou que entregaria o vídeo ao Departamento de Imigração (ICE); denunciando o conterrâneo. Em contrapartida, Sathler afirma que Bonfim mente ao se identificar como policial.

Após a divulgação da briga, Sathler usou as redes sociais para rebater a acusação de que casou-se por interesse. Ainda no vídeo, ele cita que é casado e tem dois filhos, embora o restante do conteúdo, que possui cerca de 15 minutos, usou para atacar e fazer ameaças. Jones chamou o jornal Brazilian Times de “jornalzinho”, mas o que não ficou compreendido é porque um jornalzinho o abalou tanto, publicou o BT.

Segue abaixo a matéria publicada pelo Brazilian Times:

“Ele disse que enquanto os ataques à sua pessoa estavam apenas na internet, não se importava muito, mas como os “jornalzinhos” divulgaram a informação, não iria deixar barato. Além disso, Sathler fez ameaças a Marcos Bonfim, dizendo que se eles estivessem no Brasil, iria acabar com ele de “pau” e que só não faz isso porque está nos Estados Unidos, onde as leis são mais rigorosas. Ele destaca que os EUA o doutrinou a andar na linha, mas não hesitou em afirmar que agrediria Bonfim se estivesse no Brasil.

O produtor de vídeos também desafiou o empresário Walter Medeiros, do jornal Negócio Fechado, chegando a falar “que ele não é homem” para falar frente a frente. O empresário disse: “Eu apenas noticiei o que está acontecendo e assim como o Brazilian Times, não o atacamos e nem o denunciamos. Reproduzimos o que ambos falaram na internet deixando a comunidade ciente, pois eles são pessoas públicas”, disse. “Se quer evitar que a mídia acompanhe o que acontece com você, fique em casa, não se exponha”, continuou.

Sathler também fala que os jornais afirmaram que ele é um criminoso federal. O jornal não afirmou em momento algum que ele é um criminoso. O que aconteceu foi a reprodução de uma briga que está envolvendo milhares de pessoas, pois existem dois lados nesta história e o leitor tem o direito de saber para tomar sua decisão.

Além disso, Sathler afirmou que o jornal Braziian Times entrou em contato com ele para se retratar e dizer que tudo é uma mentira. Mas não foi isso que aconteceu. O jornal apenas abriu espaço para que ele dê o seu lado da história e se defenda das acusações de Bonfim, uma vez que foi feita uma acusação diante das autoridades.

Ao invés de usar o espaço para explicar o seu lado da história, Sathler preferiu produzir um vídeo onde ofendeu a todos, inclusive chamando outros produtores de vídeo como Karol Eller, Luis Miranda e Malandragem USA de vagabundos. Também desafiou os internautas que são contra sua posição ou o atacam nas redes sociais. “Quero ver se vocês são homens de falar isso na minha frente”, disse.

A redação do Brazilian Times entrou em contato com Sathler via WhatsApp e ele disse que daria uma entrevista para o jornal contando o seu lado da história mediante algumas condições, entre elas uma live na página do Facebook. Isso será analisado pela direção e posteriormente decidido. O jornal continua aberto para que ele conte o seu lado da história, a princípio, sem condições, pois o BT não errou ao reproduzir uma briga entre pessoas públicas nas redes sociais.

. Entenda o caso:

Tudo começou após Sathler afirmar que Marcos Bonfim não é um policial. Diante disso, um desafio foi lançado para que ambos se encontrem no dia 15 de janeiro no Departamento de Polícia de Charlotte, na Carolina do Norte, e depois irem ao FBI para que seja provado que ele não pode afirmar que é policial.

Bonfim atua como “Special Police”, uma polícia especial que geralmente descreve-se como uma força ou unidade policial dentro de uma unidade policial. Ele tem poderes para agir como policial dentro de um estabelecimento que o contrata. Apesar dele não ter poder para prender ou agir fora do local contratado, pode ser sim chamado de policial.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend