YouTuber “Malandragem USA” é entregue ao ICE

Foto3 Danilo Portugal Ramscheid 1 2 YouTuber “Malandragem USA” é entregue ao ICE
Danilo P. Ramscheid tem milhares de seguidores no YouTube e postava nas redes sociais fotos e imagens indicando ostentação (Foto: Facebook)
Foto3 Danilo Portugal Ramscheid 1 3 YouTuber “Malandragem USA” é entregue ao ICE
Danilo Ramscheid na viatura de polícia na cidade de Winchester (MA), antes de ser entregue aos agentes do ICE

Danilo P. Ramscheid é acusado de ter feito sexo com uma adolescente de 17 anos sem o consentimento dela e filmar secretamente o ato

Na sexta-feira (8), o YouTuber Danilo Portugal Ramscheid compareceu à audiência preliminar realizada no Tribunal de Woburn (MA). No final da audiência, a custódia dele foi transferida para o Departamento de Imigração (ICE). A princípio, o juiz havia determinado a fiança dele em US$ 10 mil, entretanto, o magistrado mudou de ideia e não quis liberar o réu. O brasileiro é indocumentado nos EUA e é acusado de ter feito sexo com uma adolescente de 17 anos sem o consentimento dela e filmar secretamente o ato. As autoridades no tribunal contataram os agentes do ICE.

Danilo tem milhares de seguidores no YouTube e postava nas redes sociais fotos e imagens indicando ostentação. Antes de ser preso, Ramscheid tinha presença ativa nas redes sociais, com vários vídeos postados sob o perfil “Dan Shelby” e “Malandragem”.

Conforme documentos apresentados no tribunal, uma festa ocorrida em meados de janeiro, em Winchester (MA), resultou numa postagem nas redes sociais que atraiu um número maior de visualizações que se esperava. Depois que um vizinho denunciou um carro trafegando em alta velocidade na rua, agentes do Departamento de Polícia de Winchester (WPD) bateram à porta de Danilo Portugal Ramscheid, também conhecido nas redes sociais como “Malandragem USA”. De acordo com os documentos apresentados na Corte Distrital de Woburn, o brasileiro deixou os agentes entrar e pediu ajuda para retirar alguns dos convidados inconvenientes do local, entretanto, um grupo pequeno de pessoas permaneceu. A festa teria sido divulgada nas redes sociais, atraindo uma quantidade inesperada de pessoas.

Entre os convidados que ficaram na festa estava uma estudante de 17 anos, que Danilo havia conhecido há alguns meses. Em 22 de janeiro, obedecendo a um mandado de busca, os policiais retornaram ao local onde ocorreu a festa e encontraram um vídeo de Ramscheid fazendo sexo com a adolescente na mesma noite da festa, em 12 de janeiro. A vítima alegou não ter conhecimento ou consentido tal filmagem. Os agentes obtiveram o mandado de busca tendo como base denúncias relacionadas aos incidentes que ocorreram na festa.

Danilo foi preso na segunda-feira (4) e enfrenta as seguintes acusações: Posar e exibir uma menor de idade em ato sexual, fotografar/filmar sem autorização uma pessoa nua e posse de pornografia infantil, detalhou o Chefe Peter McDonnell, do Departamento de Polícia de Winchester. No estado de Massachusetts, uma pessoa com 17 anos de idade ainda é considerada menor para consentir sexo.

Ramscheid, motorista do Uber e autodenominado “YouTuber”, insinuou-se para a menor desde a primeira vez em que eles se conheceram, mas ela repetidamente rejeitou o interesse dele. O irmão de Danilo começou a namorar a amiga da adolescente, consequentemente, ela passou a frequentar a casa do brasileiro em muitas festas. A vítima relatou à polícia que teria consumido bebida alcóolica na noite de 12 de janeiro, mas “havia deixado claro” a Ramscheid que não queria intimidade com ele. Em um momento da noite, Danilo a teria levado a um quarto no qual a porta tinha fechadura, paredes pintadas de branco, sem qualquer tipo de decoração, carpete branco e 3 câmeras voltadas para a cama. Segundo o boletim de ocorrência, a jovem relatou aos investigadores que foi atacada sexualmente e não consentiu ser filmada. Dois amigos da adolescente, cujos nomes também não foram citados, relataram que a encontraram encolhida e nua na cama do brasileiro, no 2º andar da casa. Os amigos distraíram Danilo, vestiram a vítima e foram embora da festa.

. “Para me proteger”

Durante interrogatório com os detetives, o brasileiro alegou que a adolescente quis fazer sexo com ele. As câmeras apontadas para a cama foram posicionadas “para a proteção dele”, ou seja, para que pudesse gravar os encontros íntimos com mulheres “e elas não pudessem acusa-lo de tê-las estuprado”, conforme documentos apresentados no tribunal.

Embora Danilo tenha chamado a atenção da polícia há pouco tempo, o Departamento de Segurança Nacional (DHS) informou que o observava há mais tempo. Ele teria ultrapassado o prazo de permanência legal nos EUA. Além disso, as autoridades desconfiavam que ele pudesse estar envolvido em alguma atividade ilegal. A investigação do caso continua em andamento, informou MacDonnell.

“Nós estamos envolvidos ativamente nessa investigação e mantendo os olhos abertos com relação à essa situação”, concluiu.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend