Música a seis mãos

Junta-se uma cantora, um compositor e um poeta, cria-se o cenário do encanto. Ar de real entrosamento, três criaturas diversas, unidas na música, a criar belezas incompreensíveis aos insensíveis.

Loucas visões do mundo expressas em palavras. Súbitas harmonias. Apaixonada voz. Ricas melodias. Fortuna propícia ao amadurecimento do fruto vital. Luzes infindas iluminando horizontes longínquos… Juntem uma cantora, um compositor e um poeta.

Verônica Ferriani e Chico Saraiva – Sobre Palavras (Borandá) reúne a cantora Verônica Ferriani, o compositor e violonista Chico Saraiva e o poeta Mauro Aguiar. Os três projetam luz sobre a escuridão da mesmice, a que teima em se alargar por sobre nossas cabeças (basta uma pequena distração).

Verônica Ferriani enternece palavras duras, torna cálidos versos de decepção. Embala para presente letras que tratam do passado, lançando-as ao futuro. Faz da voz instrumento. Salpica de lágrimas a alegria. Alegra com sorrisos a tristeza da sanfona gemedora. Dá forma ao amor destroçado, refazendo-o. Dá vez às valias, tornando-as imensas. Encanta com sua tamanha afinação. Junto à música, agiganta-se em seu ofício do gozo de ser mulher plena.

Chico Saraiva tem o violão, mano de fé. Tem melodias, amantes de cama e mesa. Tem harmonias, irmãs mais velhas. Intui que o caminhar tem som para cada curva. Foi à música e dela veio a certeza de que só aos batalhadores é dado o dom do crescimento consistente. Viu a tristeza, para ela tocou o sol; viu a dor, para ela disse: ô dó; viu moinhos, flechou-os com a lança da ingenuidade. Junto a Verônica, fez-se maior.

Mauro Aguiar sabe os versos da beleza, mas também os da derrota e do prazer. Vida feita de palavras, elas que induzem a qualquer coisa que se queira, independentemente de seus sentidos apontarem para isso ou aquilo. Poeta, traduz, engana, titubeia, ri da culpa, chora de amor, refaz caminhos, revê abismos, acende faróis. Vai na frente. Cão danado, chega antes – às vezes remancha só para deixar que quebrem a cara quem não percebe as rimas do seu rumo. Junto a Chico, com quem compôs todo o repertório do CD, Mauro verseja como se fosse pela última vez, como se depois nada mais tivesse a ver. Verônica o amplia.

E os três – aliás, melhor fariam se o nome do poeta também figurasse na capa do álbum – se esbaldam no volteio dos sons da musica e da palavra brasileiras.

Adriana Holtz tira com o arco o som mais belo do cello; Toninho Ferragutti faz gemer a sanfona; Carlos Malta sopra o pife e a flauta baixo, mágicos; o trombone tem em Roberto Marques o seu mestre; a zabumba é parceira de Zezinho Pitoco. E Chico César canta. Marcelo Pretto também. E assim caminha o mundo pelos trilhos da parceria entre os que se somam, multiplicando-se.

Verônica Ferriani e Chico Saraiva – Sobre Palavras – um grande disco – tem samba e tem baião, tem bolero e tem canção. É boa música, é mundo girando em si e em mim. Música de especial brandura, fervura…

Related posts

Comentários

Send this to a friend