Datas (da série “Consertando o mundo”)

vintage Datas (da série “Consertando o mundo”)Por sugestão de uma leitora, que se entusiasmou com minha disposição de consertar o mundo, resolvi analisar o calendário e notei que várias datas festivas estão em posição errada. A começar pelo Carnaval, que insiste em acontecer sempre no verão. O carnaval é uma festa onde as pessoas dançam e pulam debaixo de um calor de rachar. Seria muito mais apropriado se fosse no inverno. A temperatura mais fria, tipo ar condicionado natural, faria as pessoas se divertirem sem suar tanto, o que deixaria o ar mais respirável. Com menos calor, diminuiria também o consumo de cerveja, o que tornaria a festa mais civilizada, com menos brigas e acidentes de trânsito. E, ao mesmo tempo, resolveria o problema do cheiro de urina nas ruas.

A festa de São João deveria ser no outono. Manter uma fogueira acesa no inverno requer muita lenha, o que incentiva o desmatamento das florestas e sua consequência desastrosa: o desequilíbrio ecológico e o aquecimento global. Uma atitude politicamente correta seria transferir as festas juninas para a época da Páscoa, quando as árvores já estão secas mesmo e um galho a mais ou a menos não vai fazer muita diferença.

A Páscoa teria então que ser deslocada para, sei lá, dezembro. Por sua vez, o Natal seria transferido para o inverno e poderíamos, enfim, curtir sem culpa os pinheiros com neve e toda aquela decoração glacial. E o cara que se veste de Papai Noel não sofreria tanto com o calor.

Nessa questão de datas, nós os homens estamos muito desprestigiados. Todo mundo tem um dia pra chamar de seu. Dia da mulher, da criança, do idoso, só não existe o dia do homem. Não adianta vir com a piadinha de que a mulher tem só um dia e todos os outros 364 são do homem. Queremos um dia para o sexo masculino. Vou passar um twitter e convocar uma passeata.

E já que estamos tocando no assunto, precisamos privilegiar o dia dos pais. Abril seria uma boa data. No lugar onde está, no início de agosto, saímos prejudicados, pois o orçamento doméstico chega sem fôlego, depois de passar pelo dia da mães, dia dos namorados e férias de julho. Só recebemos migalhas. Pra você ter uma idéia, ano passado, no dia das mães, dei um iPhone de presente pra minha mulher e no dia dos pais recebi um par de meias. Não é justo.

Para encerrar, o Ano Novo poderia ser festejado no dia 17 de dezembro, dia de São Gabirú, data máxima do calendário gregoriano, que marca a vitória triunfal do Sport Club Internacional sobre o Barcelona, chegando ao título histórico de Campeão do Mundo.

Related posts

Comentários

Send this to a friend