ACLU: ICE arma “emboscadas” para indocumentados que tentam se legalizar

Foto2 Lilian Calderon e familia ACLU: ICE arma “emboscadas” para indocumentados que tentam se legalizar
Lilian Calderón, o esposo, que é cidadão americano, e as 2 filhas do casal, ambas nascidas nos EUA

Lilian Calderón é casada com um cidadão americano e foi presa durante a entrevista para a legalização do status migratório

Dois departamentos federais de imigração teriam coordenado uma campanha para atrair imigrantes indocumentados que buscam a legalização para entrevistas, durantes as quais eles são presos e, em alguns casos, deportados. Tais entrevistas foram agendadas conforme a conveniência do Departamento de Imigração (ICE), que pediu às autoridades federais para organizar os encontros de forma que o público tenha menos possibilidade de tomar conhecimento das detenções. As informações estão contidas em e-mails trocados entre agentes do ICE e funcionários do Departamento de Cidadania & Serviços Migratórios (USCIS), divulgados na segunda-feira (13).

“Enquanto a agenda continua, eu preferiria não fazer tudo de uma vez só, pois isso prejudicaria a nossa habilidade em transportar e processar todos, além da probabilidade de gerar interesse negativo por parte da mídia como vimos no passado”, escreveu Andrew Graham, agente do ICE, a um funcionário do USCIS em outubro de 2017.

Os documentos apresentados no tribunal, na segunda-feira (13), revelaram detalhes surpreendentes da coordenação entre ambos os departamentos. Os advogados defensores dos imigrantes consideraram a ação uma “armadilha”.

As cópias dos e-mails foram incluídas na ação judicial iniciada pelo American Civil Liberty Union de Massachusetts (ACLU-MA). O processo é contra o Departamento de Segurança Nacional (DHS), que é responsável pelo ICE, em nome de 5 imigrantes e seus cônjuges e condena a prática da administração Trump de separar os casais enquanto um deles tenta regularizar o status.

O ICE reconheceu que os agentes da jurisdição de Boston (MA) até agora em 2018 prenderam 17 pessoas na região da Nova Inglaterra em escritórios do governo, onde elas buscavam a regularização do status através de laços familiares, segundo os advogados da ACLU. Alguns desses imigrantes já foram deportados, disseram os advogados.

Todos os imigrantes no processo judicial possuem ordens finais de deportação, mas são casados com cidadãos americanos e buscam a legalização através dos cônjuges. Dois deles, uma guatemalteca mãe de 2 filhos e uma brasileira mãe de 3 filhos, foram detidas no início de 2018 imediatamente depois de terem sido entrevistadas por funcionários do USCIS. Na ocasião, as duas foram informadas que os casamentos delas eram legítimos, entretanto, momentos depois foram presas pelos agentes do ICE.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend