Acordo entre Trump e democratas pode salvar DREAMers

Foto4 Nancy Pelosi e Chuck Schumer Acordo entre Trump e democratas pode salvar DREAMers
O acordo foi anunciado por Chuck Schumer e Nancy Pelosi depois de um jantar na Casa Branca

A proposta tornaria permanente o Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA)

Na quarta-feira (13), democratas líderes na Câmara dos Deputados e Senado informaram que fecharam um acordo com o Presidente Donald Trump para proteger milhares de jovens imigrantes da deportação e o patrocínio de melhorias na segurança da fronteira. O acordo não inclui a construção de um muro ao longo da divisa dos EUA e México.

O acordo, anunciado pelo líder democrata no Senado Chuck Schumer e a líder democrata na Câmara dos Deputados Nancy Pelosi depois de um jantar na Casa Branca, tornaria permanente as proteções para os quase 800 mil imigrantes indocumentados trazidos aos EUA ainda na infância. Esses jovens foram beneficiados pelo Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA). O programa provê permissão de trabalho temporária e proteção contra a deportação.

Trump cancelou o programa no início de setembro e deu ao Congresso o prazo de 6 meses para que seja encontrada uma solução legislativa antes que o status dos DREAMers comece a expirar. “Nós concordamos em tornar lei rapidamente as proteções oferecidas pelo DACA e trabalhar em um pacote para a segurança na fronteira, excluindo o muro, que seja aceitável para ambos os lados”, disseram Pelosi e Schumer.

Essa foi a segunda vez em duas semanas que Trump se desviou dos republicanos para chegar a um acordo com Pelosi e Schumer. Uma pessoa presente ao encontro detalhou que o acordo especifica uma lei bipartidária chamada DREAM Act, a qual provê eventual cidadania aos jovens imigrantes.

A Casa Branca disse em sua própria declaração que o Presidente teve “um jantar de negócios construtivo” com Schumer, Pelosi e membros da administração atual “para discutir política e prioridades legislativas”, incluindo o DACA. “Este é um passo positivo no forte comprometimento do Presidente em soluções bipartidárias para os assuntos mais importantes a todos os americanos”, informou a Casa Branca.

Sarah Sanders então divulgou um comunicado e postou no Twitter que não foi acordado a exclusão do muro. Durante um encontro na Casa Branca com membros moderados da Câmara de ambos os partidos, na quarta-feira (13), Trump encorajou os legisladores a apresentarem uma solução bipartidária.

“Nós não queremos esquecer o DACA”, disse Trump aos presentes no encontro. “Nós queremos ver se podemos fazer algo de forma bipartidária para que então possamos resolver o problema do DACA e outros assuntos migratórios”.

O aparente acordo é o exemplo mais recente mudança de Trump a favor do bipartidarismo depois de meses criticando os democratas e os chamando de “obstrucionistas”. Ele os encorajou a juntar-se a ele na reforma do código tributário do país, entre outras prioridades. Trump, que se desapontou profundamente com os republicanos por falharem na votação da reforma do sistema de saúde, enfureceu muitos no partido quando chegou a um acordo de três meses com Schumer e Pelosi no aumento do teto do débito, manter o Governo funcionando e acelerar a ajuda financeira aos estados afetados recentemente por furacões.

“Cada vez mais estamos tentando trabalhar juntos”, explicou Trump na quarta-feira (13), considerando o resultado do encontro “algo positivo” para ambos os partidos. “Se você olhar para algumas das maiores leis já aprovadas, foram feitas de forma bipartidária, então, é isto que tentaremos”.

A secretária de imprensa da Casa Branca Sarah Huckabee Sanders disse na manhã de quarta-feira que Trump estava “comprometido com o muro. A construção não tem que estar atrelada ao DACA, mas é importante e ele a fará”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend