Brasileiro assume a culpa em roubo de identidade na Louisiana

Foto9 Andre Lion Goncalves Pereira Brasileiro assume a culpa em roubo de identidade na Louisiana
André Lion Gonçalves Pereira é o 3º brasileiro preso no esquema que clonava cartões bancários e realizava saques em caixas eletrônicos no estado da Louisiana
Foto9 Fernando Minguzzi Andre Goncalves Pereira Harik Enedino dos Santos e Joao Freire da Silva Neto Brasileiro assume a culpa em roubo de identidade na Louisiana
Fernando Minguzzi, André Lion Gonçalves Pereira, Harik Enedino dos Santos e João Freire da Silva Neto foram detidos em 3 de agosto de 2017

André Lion Gonçalves Pereira enfrenta a pena mínima obrigatória de 2 anos de prisão por participação em esquema de clonagem de cartões bancários

Na quinta-feira (14), o Procurador Público Duane A. Evans anunciou que André Lion Gonçalves Pereira, de 29 anos, assumiu a culpa por roubo de identidade com agravantes perante a Juíza Sarah S. Vance. O réu é o 3º brasileiro preso no esquema que clonava cartões bancários e realizava saques em caixas eletrônicos no estado da Louisiana. As informações são da Procuradoria Pública do Distrito Leste da Louisiana.

De acordo com os documentos no tribunal, Pereira e outros três brasileiros, Fernando Minguzzi, Harik Enedino dos Santos e João Freire da Silva Neto, foram presos por agentes da Força-Tarefa de Combate a Crimes Financeiros na Louisiana em um hotel no bairro de Argel de New Orleans, em 3 de agosto de 2017. No local, agentes federais e policiais estaduais encontraram os réus na posse de cartões de crédito recodificados que contêm informações de cartões de débito roubados de clientes. Esses indivíduos também possuíam impressoras, codificadores, adaptador de ATM, identificações falsas, além de outros contrabandos. Em uma investigação coordenada em Oklahoma City, agentes do Serviço Secreto (FBI) prenderam outro brasileiro que enviava aparatos utilizados na fraude de cartão de crédito para os membros dessa quadrilha que atuava em Nova Orleans.

Pereira assumiu a culpa com relação a roubo de identidade com agravantes em violação do Título 18, Código dos Estados Unidos, Seção 1028-A. Ele enfrenta a pena obrigatória de no mínimo 2 anos de prisão, 1 ano de liberdade condicional e multa de US$ 250 mil ou multa igual ao maior ganho bruto ou o dobro da perda bruta causada pela atividade criminosa. A Juíza Sarah S. Vance agendou a leitura da sentença para 12 de setembro desse ano.

O Procurador Federal Duane A. Evans elogiou os órgãos de segurança que contribuíram para a investigação, que foi um esforço coordenado entre autoridades policiais federais e estaduais na Força-Tarefa Contra Crimes Financeiros na Louisiana. A Força-Tarefa inclui membros do Serviço Secreto dos EUA, o Serviço de Inspeção Postal, a Procuradoria Geral da Louisiana, o Departamento do Xerife da Paróquia de Jefferson e o Departamento de Polícia de Nova Orleans. Evans também agradeceu ao Serviço secreto na jurisdição de Oklahoma City e Midwest City e o Departamento de Polícia de OK pela assistência. O procurador assistente dos Estados Unidos, Matthew Payne, é o encarregado da acusação junto ao tribunal.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend