Brasileiro é acusado de abusar sexualmente de menor em Connecticut

Foto23 Mauredson Chaves Brasileiro é acusado de abusar sexualmente de menor em Connecticut
Mauredson Chaves, de 38 anos, teve a fiança estabelecida em US$ 500 mil

Mauredson Chaves, de 38 anos, foi preso quando, provavelmente, tentava fugir dos EUA

Na sexta-feira (1), agentes do Departamento de Polícia de Bridgeport (CT) prenderam o brasileiro Mauredson Chaves, de 38 anos, quando ele tentava fugir dos Estados Unidos. Ele é acusado de ter abusado sexualmente um parente menor de idade. As informações são do canal de TV local Eye Witness News 3.

Policiais ajudaram os agentes da cidade de Ansonia a parar o carro que Chaves dirigia no sentido sul da rodovia I-95. Ele portava um passaporte brasileiro vencido e, provavelmente, tentava sair do país. Os policiais também encontraram uma mala repleta de pertences dele.

Mauredson foi preso sob a acusação de agressão em primeiro grau e pôr em perigo um menor de idade. A fiança do brasileiro foi estabelecida em US$ 500 mil.

. Caso similar:

O comerciante Rafael Di Lorenzo Neto, de 39 anos, natural da Paraíba, foi condenado a 20 anos de prisão, sendo 10 no regime fechado e 10 no regime condicional. Ele considerado culpado por tentativa de estupro e tentativa de abuso sexual contra uma criança no estado da Flórida. A sentença foi dada na segunda-feira (28), no condado de Orange, onde aconteceu o crime. O brasileiro foi preso em 2017 no condado de Harris, em Houston (TX).

Um membro da família da vítima, também natural da Paraíba, disse que a condenação de Rafael marca um início novo para os parentes da criança. “Embora o mal não possa ser destruído, nós estamos mais tranquilos ao saber que durante alguns anos ele não poderá causar tanto sofrimento a outras famílias”, disse ela, que não quis se identificar.

Ela detalhou que o crime ocorreu quando a criança tinha 6 anos de idade. Rafael era amigo do pai da vítima, que o considerava como um “tio”. A menina teria dito a familiares que “o tio havia dado banho nela”. Conforme o advogado de defesa do brasileiro, Reinaldo Muribeca, a sentença foi dada depois que o réu concordou que o caso não fosse a julgamento. Reinaldo alega que o cliente dele é inocente, mas que não tem provas.

“Ele concordou com esse acordo somente porque tinha receio de que o julgamento resultasse num desfecho pior. Não há evidências do crime cometido”, disse Reinaldo.

O advogado detalhou que os 10 anos de liberdade condicional serão servidos depois de cumpridos os 10 anos de encarceramento. Ele acrescentou que não tinha evidências que contradissessem o testemunho da vítima. “Eu acho que ele será deportado depois de cumprir essa sentença”, disse Muribeca.

O irmão de Rafael detalhou que ele foi preso logo assim que o voo dele aterrissou nos EUA, após ter passado alguns dias em João Pessoa (PB). Ele havia retornado para renovar a residência legal permanente (green card) e não sabia da existência de um mandado de prisão em nome dele. O brasileiro foi detido em 22 de agosto de 2017 no Texas. Conforme as leis estaduais na Flórida, Rafael poderia ser condenado por abuso sexual contra uma criança de menos de 12 anos de idade, o que poderia resultar em prisão perpétua ou o mínimo de 25 anos de reclusão. Em alguns casos envolvendo estupro de crianças abaixo de 12 anos a condenação pode resultar em pena de morte.

Além dos 10 anos de detenção e 10 anos de liberdade condicional, o brasileiro deverá ser cadastrado no Registro Nacional de Predadores Sexuais e impedido de ter qualquer contato com a vítima ou familiares dela.

Na terça-feira (15), o Itamaraty informou que o Consulado Geral do Brasil em Miami estava acompanhando o caso desde 2017 e que provia assistência a Rafael. Na ocasião, o órgão consular facilitava o contato do réu com os parentes dele sempre que era solicitado, seguindo os limites impostos pelas autoridades de segurança na Flórida.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend