Brasileiros têm acesso a prostitutas e drogas em prisão nas Bahamas

Foto15 Centro de Detencoes Carmichael Road Brasileiros têm acesso a prostitutas e drogas em prisão nas Bahamas
Centro de detenção Carmichael Road (detalhe), onde os 5 brasileiros ficaram detidos nas Bahamas, antes de serem deportados ao Panamá na volta ao Brasil

Grupo de 5 brasileiros tentava entrar clandestinamente na Flórida e foi detido pelas autoridades das Bahamas

A busca pelo sonho americano tem motivado inúmeros brasileiros a tentar imigrar, mesmo clandestinamente, nos Estados Unidos. Nós últimos anos, a administração Obama aumentou a segurança na fronteira com o México, fazendo com que os imigrantes busquem outras rotas, algumas delas perigosas. Recentemente, as Bahamas tornaram-se uma das opções cada vez mais utilizadas por brasileiros, em virtude de sua proximidade com o litoral da Flórida. O local predileto dos coiotes é a pequena ilha de Bimini, o ponto das Bahamas mais próximo de Miami (FL). A rota, de 92 km de distância entre as ilhas e o continente, entrou no noticiário internacional depois do desaparecimento de 12 brasileiros no final de 2016, que tentavam entrar clandestinamente nos EUA. Até hoje, o paradeiro dos brasileiros é desconhecido e o Itamaraty especula a possibilidade de eles estarem presos em algum lugar ou naufrágio. A Guarda Fronteira dos EUA cancelou as operações de busca dos 12 desaparecidos, pois não teria recebido informações específicas sobre a área de procura.

As autoridades brasileiras especulam que o grupo possa estar detido ou desaparecido por outras razões. Os 12 brasileiros teriam pagado aos “coiotes” (traficantes de seres humanos) milhares de dólares para efetuarem a perigosa travessia. Apesar da relativa pequena distância entre as ilhas e o continente, o mar na região costuma ser agitado e repleto de tubarões. Anteriormente, a rota mais utilizada era entre a Grande Bahamas e Palm Beach (FL), entretanto, atualmente inclui Bimini, próximo a Miami, ou outras ilhas nas Bahamas.

Até recentemente, tentar entrar clandestinamente nos EUA através das Bahamas não era uma opção comum entre os brasileiros, explicou o professor assistente Eduardo Siqueira, da Universidade de Massachusetts, em Boston, especializado na imigração brasileira aos EUA. Geralmente, os imigrantes brasileiros entram no país de avião com visto de turista e permanecem ou clandestinamente através da fronteira com o México. Esse caso, se confirmado, revela que os brasileiros estão buscando alternativas, pois as rotas tradicionais se tornaram mais difíceis ou perigosas.

. Prostituição e drogas:

Na quinta-feira (5), 5 brasileiros, sendo 3 mineiros e 2 rondonienses, foram deportados das Bahamas ao Panamá, de onde seguiriam para o Brasil. Eles chegaram à ilha Bimini em 25 de dezembro de 2016 e ficaram escondidos em um quarto de hotel, até serem localizados e presos por autoridades das Bahamas. Conforme eles, a penitenciária é controlada por presos cubanos, que determinam desde onde os outros detentos dormem até o fornecimento de maconha e cocaína, que são consumidos abertamente. O alojamento dos homens é separado da ala feminina por uma tela de arame; permitindo a prostituição com as mulheres presas. Um “programa”, intermediado por um dos presos, pode sair por US$ 50.

Um dos cinco brasileiros presos detalhou que o coiote cobrou US$ 20 mil pela travessia e que esse valor somente seria pago em caso de sucesso. Entre eles, três já haviam morado nos Estados Unidos e tentavam voltar, após se decepcionarem com a economia brasileira. Apesar do perigo da travessia e o risco de serem detidos e deportados novamente, alguns deles afirmaram que não iriam desistir de buscar o sonho americano.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend