Casa Branca anuncia acordo bipartidário para reforma na imigração

Foto31 Donald Trump  Casa Branca anuncia acordo bipartidário para reforma na imigração
“Nós faremos o DACA. Então, poderemos iniciar a reforma migratória ampla na tarde seguinte”, disse Trump

Trump, legisladores republicanos e democratas concordaram em realizar a reforma migratória por etapas, priorizando o DACA

Na terça-feira (9), o encontro bipartidário entre o Presidente Donald Trump e membros do Congresso parece ter avançado um pouco a discussão sobre como resolver o destino dos imigrantes indocumentados beneficiados pelo programa DACA. Membros de ambos os partidos e a Casa Branca disseram concordar que os quatro temas que devem ser abordados incluem o DACA, a segurança na fronteira, mudança na imigração baseada em laços familiares e o cancelamento da loteria do green card. A reunião indica um progresso que poderá estreitar os parâmetros de assuntos amplos e polêmicos que envolvem a imigração. Apesar de algum progresso ter ocorrido com relação à amplitude do debate, não houver acordo envolvendo os detalhes mais complexos, apenas a indicação de ambos os lados sobre a necessidade de resolver a questão do DACA.

Uma das perguntas principais levantadas depois do encontro envolve a definição de “segurança na fronteira” e o futuro do muro prometido por Trump. Os senadores republicanos que mantém contato com a Casa Branca vêm redefinindo o conceito de “muro na fronteira” semana passada, alegando que Trump não estava literal quando prometeu uma barreira física ao longo de toda a fronteira sul dos EUA. No encontro de terça-feira, Trump parecia em sintonia e não mencionou que o México pagaria com isso.

“Nós estamos realizando um estudo sobre isso agora mesmo, embora haja áreas grandes nas quais você não precisa de um muro, pois você tem uma montanha, um rio, um rio violento. Você não precisa disso”, disse o Presidente.

Surpreendendo observadores e pessoas presentes na sala, Trump disse querer uma “proposta amorosa” para resolver os temas iniciais e, então, seguir adiante rumo à uma reforma migratória ampla uma vez que estejam resolvidos. “Nós faremos o DACA. Então, poderemos iniciar a reforma migratória ampla na tarde seguinte”, disse Trump aproximadamente 55 minutos passados da reunião de 2 horas e meia, na qual membros do Congresso expuseram suas posições com relação ao assunto.

“Eu aguentarei a pressão ao invés dos democratas ou republicanos”, disse Trump. “Eu farei isso”.

O encontro bipartidário ocorreu a menos de 10 dias para a votação do orçamento anual e a falta de acordo sobre o que será feito com o DACA como obstáculo. Trump estabeleceu o prazo de até 5 março para que o Congresso aja , antes que o status dos beneficiários do DACA expire. Mais de 1 mil pessoas por dia estão perdendo o status de proteção. A construção da barreira na divisa mexicana pode ser uma exigência do presidente para regulamentar a permanência dos “dreamers” no país. Esse grupo é protegido pelo DACA, programa criado por Barack Obama em 2012. No entanto, em setembro, Trump anunciou a revogação da iniciativa, que ainda não foi efetivada.

“Bem, o Senado não é o problema”, disse o Senador Linsdsey Graham (R-SC). “Nós já aprovamos reformas migratórias no Senado três vezes. Os meus colegas na Câmara dos Deputados terão que apresentar a versão deles sobre como resolver esse problema; pois o problema é se essa proposta chegar à Câmara e morrer”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend