Chineses usam túneis na fronteira do México para entrar nos EUA

Foto11 Tunel entre Tijuana e San Diego Chineses usam túneis na fronteira do México para entrar nos EUA
Coiotes utilizam túnel para traficar drogas e imigrantes indocumentados

As restrições motivam os estrangeiros a buscar rotas clandestinas para entrar no país

Os 23 chineses detidos próximos a um túnel na divisa entre o México e Califórnia no final de semana são uma fração mínima dos milhares de imigrantes naturais da China que entraram clandestinamente nos EUA no último século, segundo especialistas. Elliott Young, professor de história no Lewis & Clark College e autor do livro sobre a história da imigração chinesa nos Estados Unidos, “Nação Estrangeira” (Alien Nation), disse que o fluxo clandestino iniciou no final do século 19.

Em 1882, os EUA aprovaram uma lei que proibiu a imigração trabalhista chinesa por 6 décadas, a qual inúmeros imigrantes ignoraram quando tentavam qualquer forma possível de entrar no país.

“Têm havido muitos casos históricos de chineses trazidos aos Estados Unidos em clandestinamente em navios, vagões de trem, escondidos em carros, através de túneis, aviões, ou seja, qualquer forma imaginável que os seres humanos podem pensar para cruzar a fronteira”, disse Young durante uma entrevista ao Voice of América.

“Os chineses estavam entre os primeiros que inventaram essas formas de evitar o controle na fronteira”, acrescentou.

No incidente mais recente, os chineses foram detidos com 7 mexicanos pelos patrulheiros depois de cruzarem um túnel de 3 milhas de comprimento, que começa em Tijuana e termina próximo a San Diego (CA).

As autoridades informaram que os túneis são geralmente utilizados para o tráfico de drogas, mas também para a passagem clandestina de pessoas.

O Migration Policy Institute (MPI), com sede em Washington-DC, calculou que em 2016 haviam aproximadamente 210 mil chineses indocumentados nos EUA.

O jornal San Diego Union-Tribune publicou o comentário feito por um patrulheiro citando que os “coiotes” (traficantes de pessoas) cobram dos chineses entre US$ 50 mil a US$ 70 mil por pessoa.  Young disse que nem todos esses imigrantes chineses podem pagar tanto dinheiro adiantado.

“Geralmente, eles têm que apresentar algum tipo de entrada de e, então, trabalhar para quitar a dívida uma vez que já estejam nos Estados Unidos”, acrescentou.

O Departamento de Estado limitou a quantidade de aplicações para vistos na China a 25.620; um número que tende a cair ainda mais em decorrência das novas políticas migratórias da administração Trump.

“Isso é porque as nossas restrições migratórias estão tornando quase impossível para as pessoas imigrarem legalmente e, consequentemente, elas são forçadas a buscar formas clandestinas e rotas ilegais”, concluiu Young.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend