Cresce o número de imigrantes presos em entrevistas de casamento

Foto2 Maria e Oscar Hernandez Miranda Cresce o número de imigrantes presos em entrevistas de casamento
Oscar Hernandez Miranda havia aplicado para um “provisional waiver”, o qual foi aprovado uma semana após a sua prisão

Somente no mês de setembro, ocorreram 4 casos similares na região metropolitana de Miami (FL) 

Durante 1 ano e meio, Maria e Oscar Hernandez Miranda se prepararam para a entrevista de casamento como parte do processo de legalização dele nos EUA. Semana passada, enquanto o casal estava sentado num escritório do Departamento de Imigração (ICE), o matrimônio ocorreu em setembro de 2015, ambos foram interrompidos pelo entrevistador.

“Ele me disse que precisava falar com o meu marido a sós e, então, pediu-me para ir até à portaria”, relatou Maria ao canal de notícias CNN. “Vinte minutos depois, ele retornou, pediu para falar comigo e disse que o meu marido tinha sido levado pelo ICE (Departamento de Imigração)”.

Lisa Lehner, advogada do grupo Americans for Immigrant Justice (AIJ), informou ter tomado conhecimento de 4 outras prisões, incluindo a de Oscar, na região metropolitana de Miami (FL), somente em setembro. Todos os casos envolveram imigrantes com ordens de deportação, casados com cidadãos americanos e que aplicaram para a “suspensão provisória” na aplicação para que eles pudessem se tornar residentes legais permanentes, segundo ela. A detenção de Oscar foi a primeira publicada pelo jornal Miami Herald.

Desde a prisão dele em 25 de setembro, Oscar, natural da Nicarágua, está detido e distante da esposa, que sofre de esclerose múltipla. Maria relatou que o casal pensava estar fazendo a coisa certa. Casais como os Miranda, os quais um cônjuge é cidadão dos EUA (nato ou naturalizado) e o outro imigrante, podem aplicar através do formulário I-130, o qual permite que um cidadão peça a legalização de membros da família diretos. Caso esse membro da família seja um cônjuge, ambos devem passar por uma entrevista de casamento para provar às autoridades a veracidade da união.

“Nós estávamos bastante confiantes, pois seguíamos o caminho que nós precisávamos trilhar para ele conseguir os papéis”, disse Maria. “Nós estávamos fazendo aquilo que deveríamos fazer”.

Poucos dias depois da prisão de Oscar, a aplicação dele para “suspensão provisória” foi aprovada para seguir em frente. Ainda existem muito passos para que ele se torne um residente legal permanente (green card) e a advogada dele, Jessica Shulruff Schneider, também da AIJ, disse que está trabalhando para liberá-lo.

“Isto não é simplesmente um caso comum. Esta é a situação de uma esposa que possui uma síndrome debilitante, esclerose múltipla, e um filho que tem a mesma condição. Os dois necessitam cuidado especializado e apoio de seus familiares”, disse Schneider. “Hernandez, como parente dela, era esse sistema de apoio”.

Nestor Yglesias, porta-voz do escritório do ICE na região de Miami (FL), confirmou que o ICE prendeu Oscar. Ele havia sido detido anteriormente por agentes da Patrulha da Fronteira (BP) em fevereiro de 2005, foi emitida uma ordem para comparecer a um tribunal de imigração, entretanto, não compareceu na data determinada. O porta-voz acrescentou que um juiz de imigração emitiu uma ordem final de deportação em junho de 2005 e Oscar permaneceu foragido até ser preso na semana passada.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend