Mais um brasileiro é acusado de usar cartão de crédito clonado

Foto6 Diogo Miranda Araujo Mais um brasileiro é acusado de usar cartão de crédito clonado
Diogo Araújo é acusado de uso fraudulento de cartão de crédito com valor acima de US$ 100 e intenção de fraudar com cartão de crédito falso (Foto: RapSheets.org)

Diogo Miranda de Araújo foi autuado e encaminhado a Penitenciária do Condado de Miami-Dade (FL)

Na sexta-feira (5), Diogo Miranda de Araújo, de 22 anos, foi autuado e encaminhado a Penitenciária do Condado de Miami-Dade sob as acusações de uso fraudulento de cartão de crédito com valor acima de US$ 100 e intenção de fraudar com cartão de crédito falso. Ele foi preso em Miami Beach (FL). As informações são do RapSheets.org.

Nos últimos 3 meses, Diogo é o 3º brasileiro a ser preso sob a acusação de uso e clonagem de cartões de crédito. Desde 14 de novembro, dois brasileiros estão detidos na Penitenciária do Condado de Trumbull, Ohio, após dois funcionários de uma agência do Cortland Bank ajudarem a polícia e o FBI a identificar e localizar Felipe Pena, de 27 anos, e Antônio Oliveira Neto, de 26 anos. Eles são acusados de utilizarem um aparato eletrônico para sacar ilegalmente dinheiro de caixas eletrônicos. Esse tipo de equipamento é usado para roubar informações de cartões de débito e credito das pessoas que utilizam os caixas eletrônicos e outros leitores de tarjas magnéticas.

Os investigadores receberam a denúncia depois que um caixa que opera o “drive through” na filial West Liberty Street Courtland Bank percebeu que o vídeo da câmera dela, instalada no caixa eletrônico, estava preto. Outro funcionário da agência percebeu que dois dias antes alguém havia coberto a lente da câmera enquanto sacava dinheiro com cartões clonados, segundo documentos apresentados no tribunal. O mesmo funcionário reparou quando isso aconteceu novamente em 14 de novembro e utilizou a câmera do telefone celular para fotografar Felipe e Antônio no interior de um veículo que estacionou próximo ao caixa eletrônico quando as lentes foram cobertas.

A polícia encontrou o carro dos brasileiros num posto de gasolina a cerca de 2 milhas de distância e prenderam Pena e Neto. “Eles estavam olhando para a câmera na hora certa e, portanto, conseguiram agir rapidamente”, disse Melanie Christie, diretora do Departamento de Segurança do Cortland Bank, com relação aos dois funcionários.

Christie acrescentou que a foto tirada com o aparelho celular foi fundamental, mas que o banco também acessou o vídeo do caixa eletrônico antes e depois que a lente havia sido coberta com fita adesiva preta. “Enquanto eles encostavam o carro, antes de fazerem isso, nós conseguimos captar algumas imagens”, comentou. “Isso ajudou a agência a identificar os dois indivíduos que a polícia havia detido”.

Os supostos golpistas clonaram e arquivaram informações digitais contidas nas tarjas magnéticas de cartões de crédito e débito de clientes legítimos. Uma parte típica do esquema é acoplar uma mini câmera no caixa eletrônico para filmar os clientes quando digitam os códigos secretos. Outra artimanha comum é a manufatura de cartões de débito falsos com as informações roubadas.

Os investigadores encontraram 280 gift cards (cartões magnéticos que são dados de presente), cartões de crédito e débito em branco, assim como US$ 139 mil divididos em pilhas de US$ 5 mil. Os agentes vasculharam o aparelho celular de Pena e descobriram fotografias do brasileiro num quarto de hotel organizando o dinheiro em pilhas.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend