Senadores tentam novo acordo que proteja “Dreamers”

Foto3 Chuck Schumer Senadores tentam novo acordo que proteja Dreamers
“Nós não podemos deixar aqueles que são contra os imigrantes, que consideram anistia a concessão de esperança aos Dreamers, nos bloquear”, disse Schumer

Trump postou no Twitter que sem a liberação da verba para o muro na fronteira “não haverá DACA”

Na quarta-feira (24), senadores democratas e republicanos tentaram novamente o início da redação de um projeto de lei que decida definitivamente o impasse sobre o futuro dos Dreamers, ou seja, jovens indocumentados trazidos aos EUA ainda na infância. Os legisladores admitiram que tal tarefa não será fácil e já começaram a culpar uns aos outros caso o resultado não seja vitorioso.

Mais de 30 senadores, divididos igualmente entre republicanos e democratas, planejaram se encontrar na tarde de quarta-feira, uma decisão que o líder do Partido Republicano no Senado (GOP), John Cornyn, do Texas, adiantou que esperava “fazer com que as pessoas pensassem sobre uma estrutura que realmente funcionasse”. O objetivo do grupo é a criação de um pacote bipartidário que proteja os ‘Dreamers’ da deportação e prover bilhões de dólares para o aumento da segurança na fronteira.

“Nós não podemos deixar aqueles que são contra os imigrantes, que consideram anistia a  concessão de esperança aos Dreamers, nos bloquear. Porque, então, falharemos e será o partido oponente o responsável por isso”, disse o líder da minoria no Senado, Chuck Schumer.

Schumer discursou 12 horas depois que o Presidente Donald Trump o criticou. “O chorão do Chuck Schumer entende completamente, especialmente depois de sua derrota vergonhosa, que se não houver muro, não haverá DACA”, postou no Twitter Trump, no final de terça-feira (23). “Nós devemos ter segurança e Forças Armadas poderosas para a nossa população maravilhosa!”

Ainda na terça-feira, Schumer disse que cancelou a oferta de US$ 25 bilhões para a construção do polêmico muro prometido por Trump. Um auxiliar do Senador detalhou que ele anulou a oferta na noite de domingo (21), depois que ficou claro que haveria comprometimento rápido na proteção dos Dreamers.

“Então, agora o grupo deverá iniciar de forma nova, sem preconceitos, com união para a redação de um projeto de lei que conquiste 60 votos”, disse Schumer, frisando que a proposta apresentada na sexta-feira (19) e rejeitada por Trump não seria mais discutida.

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend