Trump anuncia proposta de reforma migratória baseada em “mérito”

Foto11 Donald Trump Trump anuncia proposta de reforma migratória baseada em “mérito”
“Caso seja adotado, o nosso plano transformará o sistema migratório da América no orgulho da nossa nação e a inveja do mundo moderno”, disse Trump no Rose Garden

O plano avaliaria os imigrantes através de um sistema de pontuação que favoreceria os trabalhadores altamente qualificados

Na quinta-feira (16), o Presidente Donald Trump anunciou uma proposta de reforma migratória alteraria drasticamente a forma com que os EUA aceita estrangeiros no país. O plano tem como base a aceitação através de mérito ao invés de laços familiares.

“Caso seja adotado, o nosso plano transformará o sistema migratório da América no orgulho da nossa nação e a inveja do mundo moderno”, disse Trump no Rose Garden.

A proposta avaliaria os imigrantes através de um sistema de pontuação que favoreceria os trabalhadores altamente qualificados, incluindo os fatores: Idade, domínio do idioma inglês, educação e se o candidato tem uma oferta de emprego com salário alto. Atualmente, somente cerca de 12% dos imigrantes são admitidos tendo como base emprego ou qualificações profissionais, em contraste com 66% por relações familiares. A administração atual calcula que esse quadro se inverteria para 57% e 33%, respectivamente, segundo o plano de Trump.

“Atualmente, 66% dos imigrantes legais chegam aqui aleatoriamente, eles são admitidos somente porque possuem um parente nos Estados Unidos e não importa quem seja esse parente”, disse Trump.

Ele alegou que a proposta ajudaria a atrair “os melhores talentos”.

“Nós discriminamos contra a inteligência”, disse Trump com relação às políticas atuais. “Nós discriminamos contra o brilhantismo. Nós não discriminaremos mais, uma vez que seja aprovado (o plano)”.

A média salarial anual dos imigrantes legais gira em torno de US$ 43 mil. Na quarta-feira (15), as autoridades informaram que os imigrantes admitidos tendo como base a educação e qualificações profissionais teriam a média salarial anual de US$ 126 mil e calculam que a média salarial de todos os imigrantes aumente para US$ 96 mil.

Trump tenta há muito tempo acabar com o que considera “imigração em cadeia” como parte da tentativa dele de reformar o sistema migratório do país e o perfil de quem é permitido imigrar ao país. Além disso, ele frequentemente pede o fim da loteria do green card, algo que o plano dele também tenta fazer. A loteria, conhecida oficialmente como “Diversity Visa Lotery”, seria substituída pelo programa “Build America Visa”, o qual favoreceria “talentos extraordinários” e “pessoas com qualificações profissionais e especializadas”, incluindo estudantes de destaque.

A proposta de Trump não lida com os milhões de imigrantes indocumentados que já vivem nos EUA, incluindo aqueles que chegaram aos EUA ainda na infância  e que são protegidos por um decreto de lei assinado pelo Presidente Barack Obama. Entretanto, Trump alegou que o plano dele soluciona falhas de forma que os membros de gangues e criminosos são inadmissíveis, além de impedir os casos de asilo sem mérito.

“Para os criminosos que já estão aqui, nós garantiremos que eles serão deportados rapidamente”, disse ele.

O Presidente acrescentou que a proposta também exige que os imigrantes devam ser financeiramente independentes, aprendam o inglês e passem num exame de moral & cívica antes de serem admitidos. “Seguindo esses passos, nós teremos um sistema migratório que fortaleça as nossas tradições, cultura e valores”, disse ele.

Democratas desconsideraram os planos de Trump mesmo antes dele ser anunciado, indicando uma disputa difícil no Congresso. O líder da minoria no Senado, Chuck Schumer (D-NY), comentou na manhã de quinta-feira (16) que tal plano “não é uma tentativa séria de reforma migratória”.

“A proposta possui as mesmas políticas partidárias, radicais e contra os imigrantes que a administração tem apoiado durante os últimos 2 anos. Elas tem enfrentado dificuldades em para conquistar uma simples maioria no Senado o que dirá 60 votos”, disse Schumer.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend