10º policial comete suicídio em NYC

Foto7 Linhong Li 1 10º policial comete suicídio em NYC
Aparentemente, o Sargento Linhong Li, de 33 anos, não deixou uma mensagem explicando o motivo de ter tirado a própria vida (Foto: NYPD)

O Sargento Linhong Li, de 33 anos, deu um tiro na própria cabeça na noite de terça-feira (15), em Queens (NY)

Até o momento em 2019, o Departamento de Polícia de Nova York (NYPD) perdeu 10 agentes para o suicídio, sendo último caso ocorrido em Queens (NY), na noite de terça-feira (15). O Sargento Linhong Li, de 33 anos, contatou a Unidade de Intervenção Precoce do NYPD antes de dar um tiro na própria cabeça na residência dele, na 178th St., em Fresh Meadows, informaram fontes.

“Eles (autoridades) em contato com ele”, detalhou uma fonte, não citando se Li procurou a Unidade por conta própria ou foi recomendado por outro policial. “Isso é como o primeiro passo para conseguir ajuda”, referindo-se à Unidade que ajuda os policiais e funcionários do departamento a conversarem e superarem seus problemas.

Essa ajuda chegou tarde demais para Li, um veterano de 7 anos lotado no 24º Precinto em Manhattan (NY) e que se tornou o 10º agente na ativa a tirar a própria vida neste ano. O índice é o dobro da média anual de 5 indivíduos.

“Eu vi a esposa, ela estava gritando à porta”, relatou Fábio Acquista, de 31 anos, que gerencia um restaurante ao lado da residência do policial morto, detalhando que a tragédia foi descoberta aproximadamente às 8 horas da noite.

“Do nada, talvez 30 policiais apareceram”, acrescentou. “Então, eu os escutei gritando, ‘tragam ele para o ônibus!’ A ambulância estava acabando de chegar e, então, eles o levaram para dentro. “Eles tentaram ressuscitá-lo entre 15 a 20 minutos. Você podia vê-los fazer massagens no peito dele”.

Aparentemente, Li não deixou uma mensagem explicando o motivo de ter tirado a própria vida, mas uma mulher que se identificou como amiga da família postou uma homenagem online de que a esposa do policial disse-lhe que ele vinha sendo perseguido no trabalho.

“Ela me telefonou e disse, ‘eu o amo mais que qualquer um e eu o encontrei’, postou Yulia Yakovleva Yang no Facebook. “Ele estava feliz em casa, eles o perseguiam no trabalho”.

Na quarta-feira (16), o comissário do NYPD, James O’Neil, postou online que continuará lutando contra o suicídio, um problema grave e que aflige o coração do departamento.

“Tragicamente, nós perdemos mais um membro do NYPD para o suicídio”, postou James no Twitter. “Nós estamos tomando medidas significativas para acabar com essa crise na saúde mental. Nós juramos continuar lutando, por favor, cuidem-se e regularmente verifiquem seus colegas de trabalho e entes queridos. #StopSuicide”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend