Amigos fazem campanha para brasileiro vítima de doença congênita rara

%name Amigos fazem campanha para brasileiro vítima de doença congênita rara
Tiago, de 32 anos, está internado no Lahey Hospital & Medical Center, em Burlington (MA) (Foto: GoFundMe.com)
%name Amigos fazem campanha para brasileiro vítima de doença congênita rara
Tiago, antes de sofrer complicações durante a cirurgia para a correção da Má Formação Arteriovenosa Cerebral (AVM) (Foto: GoFundMe.com)

Tiago foi diagnosticado com Malformação Arteriovenosa Cerebral (MAV) e sofreu complicações durante a cirurgia

O imigrante Tiago, 32 anos, residente em Massachusetts, casado e pai de uma menina de 9 meses, como inúmeros brasileiros, deixou seu país de origem em busca do “Sonho Americano”. Entretanto, ele foi diagnosticado com a doença chamada Malformação Arteriovenosa Cerebral (MAV) e sofreu complicações durante a cirurgia.

Em decorrência disso, a internauta Nágila Costa iniciou no website GoFundMe.com a campanha beneficente: https://www.gofundme.com/f/ajude-o-tiago-e-sua-familia; cujo objetivo era angariar US$ 7 mil. Até a manhã de sábado (27) haviam sido arrecadados US$ 7.120.

“No dia 08/07, Tiago foi ao hospital para realizar um procedimento cirúrgico que os médicos já haviam marcado para que pudesse ajudá-lo em relação a essa doença. Mas, infelizmente, houve uma complicação após o procedimento que ocasionou uma hemorragia cerebral e um AVC. Ele terá possíveis sequelas na fala e na sua parte direita do corpo que não está respondendo, o mesmo segue respirando com ajuda de equipamentos no Lahey Hospital & Medical Center, em Burlington (MA).

Eles não têm família aqui, sua esposa não dirige e nesse momento está em casa com sua filha de 9 meses. A recuperação do Tiago vai ser em torno de um ano ou mais com riscos de ter sequelas. Essa família precisa de ajuda para se manter com condições mínimas necessárias, pois o mesmo terá um tratamento longo pela sua frente, sendo o provedor de casa, sua esposa e filhinha pequenina estão aflitas com seu futuro. Hoje, mesmo que o médico liberasse o Tiago para voltar ao Brasil, (eles) não teriam condições nem mesmo de pagar pelos custos de transporte. Portanto, pedimos o apoio da comunidade para que ele consiga realizar um novo sonho, o de voltar a falar, andar e ver sua filhinha, assim como dar suporte à sua família, que neste momento está totalmente desamparada, necessitando da ajuda de pessoas próximas a eles”, postou Nágila Costa no GoFundMe.com.

Dificilmente, um paciente chegará ao consultório suspeitando ser portador de MAV – Malformação Arteriovenosa Cerebral. A doença, pouco conhecida, pode ser a responsável por espasmos, convulsões, mudanças bruscas de humor, depressão, entre outras coisas.

Por isso, no geral, a patologia só é descoberta durante uma avaliação diagnóstica de alguma enfermidade que o paciente venha apresentando.

Os sintomas da MAV podem ser de dores de cabeça a convulsões, perda de força de um lado do corpo até hemorragias cerebrais, o que é mais grave. Normalmente, o paciente procura o médico por ter convulsões ou crises convulsivas parciais, conhecidas como crises de ausência, que é, por exemplo, quando uma pessoa está falando e, de repente, fica fora do ar um curto período e volta como se nada tivesse acontecido.

Não existe um tratamento à base de medicamentos para tratar a MAV. A cirurgia é apontada como principal meio de acabar com a patologia. Ela pode ocorrer de duas formas: cabeça aberta ou pela radiocirurgia ou cateter, que são métodos não invasivos. É uma cirurgia por cateterismo, que faz pela virilha, assim como em um cateterismo cardíaco. Dessa forma, vamos até o cérebro e fechamos as fístulas, corrigindo a ligação entre a artéria e a veia.

Como ela pode acontecer em qualquer parte do cérebro, é necessária uma ampla e precisa investigação da região cerebral para atingir o alvo a ser irradiado. Assim, a medicina diagnóstica é fundamental para o direcionamento da radiocirurgia.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend