Assassinato de brasileiro muda rotina de universidade em NY

Foto22 Joao Souza Assassinato de brasileiro muda rotina de universidade em NY
João Souza, de 19 anos, foi morto a facadas por outro aluno na noite de domingo (15)
Foto22 Haley Anderson  Assassinato de brasileiro muda rotina de universidade em NY
Haley Anderson, de 22 anos, foi estrangulada pelo ex-namorado, que também era aluno e fugiu para a Nicarágua

O brasileiro João Souza e a americana Haley Anderson eram alunos na Binghamton University, em Nova York

Semana passada, os estudantes na Binghamton University acordaram de manhã com um alerta da administração: Um calouro havia sido esfaqueado no dormitório dele na noite anterior e faleceu. Então, minutos antes das aulas começarem, outro alerta anunciou que elas seriam canceladas no dia porque a polícia procurava um suspeito. A universidade já estava abalada pelo assassinato de outra aluna fora do campus semanas antes, e agora as autoridades procuravam outro assassino. A administração da escola frisou que nenhum dos dois ataques foi aleatório. Ainda assim, os alunos que vivem no campus se trancaram em seus quartos, esperando até que horas depois o suspeito, também aluno, fosse encontrado e preso no dormitório dele.

“Nada assim tinha acontecido antes”, disse Cindy Lin, uma caloura e moradora em Staten Island (NY), que viu muitas viaturas da janela do quarto dela na noite anterior. “Este é o lugar que chamamos de lar. Aqui é onde eu vivo a maior parte do ano. Isso foi realmente amedrontador”.

Em 9 de março, a estudante de Enfermagem Haley Anderson, de 22 anos, foi encontrada estrangulada numa casa fora do campus. O suspeito, também aluno da universidade e que havia namorado a vítima, fugiu para a Nicarágua antes que o corpo dela fosse encontrado. Então, no domingo (15), o brasileiro João Souza, de 19 anos e estudante de Engenharia, foi morto a facadas no dormitório onde vivia, informou a polícia. Logo, as autoridades divulgaram a foto do suspeito, com o capuz da camisa escondendo o rosto das câmeras de segurança, os investigadores não divulgaram o motivo do crime.

Na segunda-feira (16), o estudante Michael Roque, de 20 anos, é acusado de homicídio em 2º grau pela morte de João. Ele alegou inocência na audiência preliminar e o advogado dele evitou comentar o caso. Souza era calouro na universidade, era membro da fraternidade Zeta Psi e vivia no Windham Hall, um dormitório que abriga inúmeros alunos internacionais e atletas que precisam permanecer no campus quando não há aulas. Ele graduou-se em 2017 na Blind Brook High School, no Condado de Westchester.

Danielle Goz, de 18 anos, conheceu João no 8º ano escolar. Ela detalhou que lembra-se dele se esforçando para aprender inglês assim que chegou do Brasil. “Ele aprendeu tão rápido, disse ela, “e imediatamente todos simplesmente se apaixonaram por ele”. Ela recordou a “proposta” dele quando a pediu para dançar com ele na formatura enquanto ela comia com amigos. Ele usou sushi para escrever “formatura”. Ela aceitou o convite. Danielle considerou o amigo “um filho modelo” com boas notas e habilidades atléticas que o ajudaram a se tornar parte do time de futebol.

“Todas as pessoas que o conheceram sabem o quanto gentil e adorável ele sempre foi”, disse Danielle. “A minha vida não será mais a mesma sem ele, mas eu tenho que encontrar uma forma de seguir em frente. Ele era o meu melhor amigo e a melhor pessoa que eu já conheci”, concluiu.

 

 

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend