Ex-detento do ICE processa penitenciária de Newark (NJ)

Foto20 Penitenciária do Condado de Essex  Ex detento do ICE processa penitenciária de Newark (NJ)
Marcus Moreno estava detido na Penitenciária do Condado de Essex, em Newark (NJ) (detalhe)

Marcus Moreno alega ter sido agredido pelo colega de cela depois de tê-lo denunciado aos carcereiros por venda de drogas

Um ex-detento do Departamento de Imigração (ICE) alega que foi agredido pelo colega de cela na Penitenciária do Condado de Essex, em Newark (NJ), e os carcereiros não fizeram nada para impedir e permitiram que outros presidiários juntarem-se ao ataque. A denúncia foi feita através de um processo judiciário apresentado por ele.

Marcus Moreno, que estava detido na penitenciária na Doremus Avenue em Newark há 2 anos, tornou-se um “informante” cuja missão ela relatar qualquer atividade criminosa aos carcereiros, conforme a ação apresentada junto à Corte Superior do Condado de Essex, na sexta-feira (6). Em 8 de dezembro de 2017, Moreno denunciou que o companheiro de cela dele estava vendendo drogas.

“Acreditando que os carcereiros mantivessem tal denúncia confidencial, Marcus relatou o fato”, diz o processo. Entrertanto, ao invés de protegê-lo, os carcereiros relataram ao colega de cela que Moreno o havia denunciado. Aproximadamente às 11 horas daquela mesma noite, “os carcereiros permitiram que mais 2 detentos entrassem na cela, onde a vítima recebeu vários chutes e socos”, diz a ação. “Um dos indivíduos torceu o pé direito de Moreno até que o calcanhar dele fraturou”.

Moreno foi levado ao Hospital Universitário de Newark. Em 28 de dezembro de 2017, ele foi submetido à cirurgia para a colocação de placa de metal e parafusos no calcanhar fraturado e foi liberado da penitenciária, detalhou o advogado dele, David Jarashow, de Freehold (NJ).

“Ele não está mais sob custódia”, detalhou Jarashow na segunda-feira (9). “Após a intervenção cirúrgica, ele foi liberado”.

Atualmente, Moreno reside na região norte de New Jersey, relatou o advogado, sem ser mais específico. Além da Penitenciária do Condado de Essex, a ação judicial também inclui  a CFG Health Systems LLC, que oferece cuidados médicos aos detentos. Os funcionários da CFG “falhou em oferecê-lo (Moreno) tratamento apropriado, cuidado contínuo e o tratamento fisioterápico uma vez que ele voltou” à penitenciária, alega a ação judicial.

A ação envolve violações do Ato de Direitos Civis de New Jersey, negligência médica, stress emocional e negligência.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend