“Ex-Dreamer” e pró-Trump concorre ao Congresso como republicana

Foto4 Whittney Williams “Ex Dreamer” e pró Trump concorre ao Congresso como republicana
“Eu era basicamente chamada de ‘Dreamer”, disse Williams, agora com 37 anos, frisando que ela não falava inglês na época

Whittney Williams imigrou com a família aos EUA quando tinha 10 anos de idade e viveu como indocumentada durante 16 anos

Uma imigrante pró-Trump e candidata republicana ao Congresso, que imigrou com os pais aos EUA na pré-adolescência e viveu indocumentada por 16 anos, disse ao canal de TV Fox News que “não é uma boa vida”.

“Eu não desejo essa vida a ninguém e é por isso que sinto a necessidade de falar agora, porque a narrativa da esquerda não está retratando bem esse lado da história”, disse Whittney Williams no programa Fox & Friends.

Williams chegou aos EUA aos 10 anos com a família, que, segundo ela, vieram com um visto de turista. Ela e seus familiares ultrapassaram o período de permanência do visto, morando nos EUA ilegalmente.

“Eu era basicamente chamada de ‘Dreamer”, disse Williams, agora com 37 anos, frisando que ela não falava inglês na época.

O apresentador Steve Doocey observou que o Presidente Trump encerrou o programa “Deferred Action for Childhood Arrivals” (DACA) em 2017 e perguntou como ela se tornou cidadã dos EUA. Williams respondeu que ela se legalizou ao se casar com um americano.

“O DACA e o DREAM Act não funcionaram para mim porque, apesar de ter sido proposto em 2001, nada foi feito e Obama concorreu em campanha apoiando a aprovação do DREAM Act em seu primeiro mandato e segundo mandato”, disse ela. “Nada foi feito e, por isso, ele usou uma ordem executiva inconstitucional para colocar em prática o DACA”.

O DACA foi criado através de um decreto de lei em 2012. O programa concedeu aos imigrantes indocumentados que foram trazidos aos EUA ainda na infância (Dreamers), elegíveis, a oportunidade de receber a permissão de trabalho e afasta o risco de deportação.

Williams, que se casou com seu marido americano há uma década, acrescentou: “Essa é uma solução temporária, ou seja, não é uma solução permanente e eu sei que o Presidente Trump está tentando ao máximo encontrar uma solução permanente para aqueles que estão aqui como eu, Dreamers”.

Williams está desafiando a deputada democrata Haley Stevens no 11º Distrito Congressional de Michigan. Ela diz que sua oponente tem histórico recorde de votação que “não está de acordo com os valores dos residentes em Michigan, porque na região Meio-Oeste (dos EUA) temos valores diferentes (do que) na Califórnia, então, isso não é bom para os nossos constituintes”.

Em 2018, Stevens ocupou uma vaga anteriormente ocupada pelo republicano aposentado Dave Trott.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend