Juiz ordena que Trump pague US$ 2 milhões para resolver processo de ONGs

Foto9 Donald Trump Juiz ordena que Trump pague US$ 2 milhões para resolver processo de ONGs
O evento em Iowa gerou US$ 5,6 milhões em doações isentas de impostos, mas metade foi para os cofres da Fundação para beneficiar a campanha presidencial de Trump

A Fundação Donald J. Trump era acusada de abusar de seu status de isenção de impostos e violou leis federais e estaduais de financiamento de campanhas

Na quinta-feira (7), um juiz ordenou que o Presidente Trump pague US$ 2 milhões a várias organizações sem fins lucrativos para resolver uma ação movida pelo procurador-geral do estado de Nova York que alega que ele usou mal sua fundação, agora fechada, para promover seus interesses políticos. O processo foi aberto em junho de 2018 pela então Procuradora-Geral Barbara Underwood e afirmou que a família Trump, incluindo o Presidente e seus 3 filhos mais velhos, Donald Jr., Ivanka e Eric Trump, permitiu que a fundação fosse usada como “pouco mais que um talão de cheques para servir os interesses comerciais e políticos de Trump”.

Bárbara disse que a Fundação Donald J. Trump abusou de seu status de isenção de impostos e violou leis federais e estaduais de financiamento de campanhas.

A procuradora-geral do estado de Nova York, Letitia James, pedia o total de US$ 2,8 milhões em restituição da Fundação Trump, mas o juiz da Suprema Corte do Estado, Saliann Scarpulla, reduziu o valor do ressarcimento para US$ 2 milhões.

Na decisão, Scarpulla disse que o Presidente “violou seu dever fiduciário”, permitindo que a fundação organizasse o evento de caridade “Trump for Vets” em Iowa, antes das eleições no estado em 2016.

“Como diretor da Fundação, o Sr. Trump devia deveres fiduciários à Fundação. Ele era administrador dos bens de caridade da Fundação e, portanto, era responsável pela administração adequada desses bens”, escreveu Scarulla.

O evento em Iowa gerou US$ 5,6 milhões em doações isentas de impostos, mas metade foi para os cofres da Fundação para beneficiar a campanha presidencial de Trump, enquanto a outra metade foi para organizações de caridade (ONGs).

“Trump usou o dinheiro da Fundação, arrecadado do público, para demonstrar sua suposta generosidade e atrair votos”, disse James em comunicado.

Alan Futerfas, advogado que representa a Fundação, fechada em dezembro passado, alegou que a ação judicial era “motivada politicamente” e culpou o processo por atrasar a Fundação doar o dinheiro para a caridade.

“Agora que esse assunto está concluído, a Fundação Trump se orgulha de fazer essa contribuição adicional”, afirmou Futerfas em comunicado.

James disse que a decisão do tribunal representa uma “grande vitória nos esforços para proteger bens de caridade e responsabilizar aqueles que abusariam de instituições de caridade para ganho pessoal”.

“Meu escritório continuará lutando pela responsabilidade, porque ninguém está acima da lei; nem um empresário, nem candidato a um cargo, nem mesmo o Presidente dos Estados Unidos”, continuou o comunicado.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend