NJ: Eleições podem adiar votação de carteira para indocumentados

capa5 NJ: Eleições podem adiar votação de carteira para indocumentados
“Isso é muito simples”, disse Murphy à uma multidão em frente à Sinagoga Ner Tamid, em Bloomfield (NJ), na noite de segunda-feira (9). “Eu estou frustrado que ainda não esteja em minha mesa”

Apesar do impasse político, o Governador Phil Murphy apoia abertamente o projeto de lei polêmico que concederia o documento aos imigrantes

Conceder carteiras de motorista aos imigrantes indocumentados residentes em New Jersey é um tema polêmico que o porta-voz democrata da Assembleia Estadual, Craig Coughlin, está determinado a não dizer nada até depois das eleições em novembro. Entretanto o governador democrata, Phil Murphy, um apoiador ferrenho da ideia, para organizar individualmente a sua agenda política. Ele quer que um projeto de lei arquivado, o qual permite conceder o documento para até 460 mil indocumentados no Estado Jardim, esteja na mesa dele para ser assinado o mais breve possível, mesmo que isso comprometa os candidatos nas 4 últimas semanas de campanha.

“Isso é muito simples”, disse Murphy à uma multidão em frente à Sinagoga Ner Tamid, em Bloomfield (NJ), na noite de segunda-feira (9). “Eu estou frustrado que ainda não esteja na minha mesa. Eu os encorajo a telefonar para os membros da Assembleia, o seu senador, e perguntar por que a proposta está arquivada e não na mesa do Governador, pois eu a assinarei”.

A pressão de Murphy e a reposta furiosa de Coughlin à portas fechadas reflete a divisão no Partido Democrata, a qual tem levado a impasses sobre assuntos importantes, como a legalização da maconha, reforma nos benefícios de saúde e o aumento do imposto de renda. Coughlin, um advogado de Woodbridge (NJ), é um pragmático que sabe como manter a cautela. Como líder da campanha para manter e possivelmente expandir a maioria de 56 contra 26 do partido na Assembleia Estadual neste outono, ele está disposto a evitar temas polêmicos que poderiam dar aos republicanos a vantagem em distritos indecisos.

Manter os votos antes de arriscar capital político em projetos de lei arriscados, a teoria se mantém. Isso exige direcionar o partido para uma posição mais central, como se afastar do plano de Murphy de aumentar os impostos dos milionários. Isso também significa ficar calado quando o Governador prometeu tornar New Jersey num “estado santuário”, algo que ele disse durante a campanha eleitoral de 2017. Coughlin de fato juntou-se a ativistas latinos, em janeiro, em apoio ao projeto das carteiras de motorista para todos os residentes no estado, independente do status migratório, mas manteve o tema afastado e fora de vista até depois das eleições em novembro. Na quarta-feira (11), ele evitou abordar o assunto,

Murphy, que possui pouco apoio da legislatura liderada pelo seu próprio partido, tem ignorado abertamente as regras tradicionais e movimentos de “dentro da bolha” na política estadual. Ele tem se posicionado como uma liberal “do lado de fora”, desafiando as forças que registem às mudanças progressistas. Essa é uma estratégia que o deixou com poucos aliados na legislatura, mas bastante popular entre os eleitores. Ele atraiu o apoio de uma coalisão de sindicatos de funcionários públicos e uma variedade de bases progressistas que estão mais inclinadas a confrontar a liderança do partido do que suas ordens. Entretanto, no momento, os temores de Coughlin parecem ser legítimos. Ele, aparentemente, agiu furiosamente depois de ter ouvido os comentários de Murphy em Bloomfield pelo fato de o Governador trazer à tona, sem necessidade, um tema tão polêmico que poderia por democratas vulneráveis na defensiva e, como tudo indica, os republicanos parecem concordar com isso.

Os candidatos republicanos do 16º Distrito, uma área de disputa que engloba Princeton, Somerset e partes do Condado de Muddlesex, pediram aos membros da Assembleia Andrew Zwicker (D-Princeton) e Roy Frieman (D-Hillsborough) a prometerem nunca votar no projeto de lei das carteiras.

“Somente no New Jersey de Phil Murphy poderia exigir que você exija que residentes legais apresentem 6 pontos de identificação para adquirir a carteira de motorista e, então, dar para alguém que não pode apresentar uma simples identificação sequer de que são cidadãos dos EUA”, disse Mark Caliguire, candidato republicano em Montgomery.

Os aliados de Murphy alegam que a reação foi exagerada e que o Governador pressionou repetidamente para que a legislatura aprovasse a proposta das carteiras ao longo de 2018. Eles citaram uma pesquisa de opinião pública realizada pela Let’s Drive New Jersey Campaign, a qual revelou que 54% dos eleitores apoiam as carteiras de motorista para os indocumentados, com 29% se opondo e 17% indecisos.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend