ONU transporta migrantes pelo México de volta à América Central

Foto20 Imigrantes na fronteira ONU transporta migrantes pelo México de volta à América Central
Os advogados de imigração questionam se os migrantes compreendem plenamente seus direitos quando aceitam bilhetes grátis de avião e ônibus de volta para casa

O programa estava em pleno andamento na terça-feira (27) em Juarez, nesta cidade fronteiriça ao lado de El Paso, Texas

Uma agência das Nações Unidas (ONU), com financiamento do Departamento de Estado dos EUA, está transportando milhares de imigrantes da fronteira EUA-México de volta para a América Central em um programa que provocou a ira de advogados de imigração. Os profissionais questionam se os migrantes compreendem plenamente seus direitos quando aceitam bilhetes grátis de avião e ônibus de volta para casa.

O programa estava em pleno andamento na terça-feira (27) em Juarez, nesta cidade fronteiriça ao lado de El Paso, Texas, onde 63 migrantes hondurenhos entraram em dois ônibus fretados pela Organização Internacional das Nações Unidas para as Migrações. O órgão já transportou mais de 2.200 migrantes da América Central para casa de Juarez e Tijuana neste ano, disse um porta-voz.

O programa de US$ 1,65 milhão, chamado Retorno Voluntário Assistido, é financiado pelo Departamento de Estado até o próximo mês, quando tende a se expandir rumo ao leste, até as cidades fronteiriças de Nuevo Laredo e Matamoros.

“Continuaremos enquanto houver necessidade e as pessoas estiverem buscando assistência para voltar para casa”, disse Christopher Gascon, chefe de missão no México da Organização Internacional para as Migrações.

Gascon disse que sua agência está tentando proteger os migrantes que fazem a perigosa jornada para o sul. “Eles enfrentam os mesmos perigos no caminho para casa que no norte. Isso demonstra claramente a necessidade”, disse ele.

Os imigrantes que usam o programa incluem aqueles que desistiram de tentar atravessar a fronteira, aqueles que buscam asilo político nos EUA pela primeira vez e os solicitantes de asilo retornados pelas autoridades de imigração dos EUA para aguardar o resultado de seus processos judiciais no México. Essa última sendo parte da política do governo Trump “Permaneça no México”.

Os advogados dos imigrantes se preocupam com o último grupo, dizendo que a agência das Nações Unidas está incentivando os solicitantes de asilo a desistirem de seus casos sem aconselhamento jurídico suficiente, contestam eles. Até agora, 37.578 solicitantes de asilo foram devolvidos ao México para aguardar o resultado de seus casos de imigração nos EUA. Desses, cerca de 400 embarcaram nos ônibus da agência, segundo Gascon.

Sair é um grande risco para quem ainda quer buscar asilo nos EUA, disseram advogados. Não há garantia de que, se os migrantes saírem, poderão retornar legalmente pelo México e, se não comparecerem a uma audiência no tribunal de imigração dos EUA, um juiz poderá emitir uma ordem de deportação, encerrando o caso e limitando futuras oportunidades de asilo.

Os advogados de imigração estão se esforçando para informar melhor os migrantes nas cidades fronteiriças do México sobre seus direitos antes de embarcarem nos ônibus para o sul. No mês passado, 30 grupos de defesa internacional enviaram uma carta ao chefe da agência da ONU dizendo que temiam que o programa retornasse migrantes para países que haviam fugido “por desespero, não por escolha” e que aqueles com casos pendentes de asilo nos EUA “podem não entender completamente. as consequências de não aparecer sempre que convocado por um tribunal de imigração dos EUA”.

“É realmente voluntário se as pessoas não entendem as consequências do que estão fazendo?” disse Nicolas Palazzo, advogado da equipe de um dos grupos que assinou a carta e trabalha com migrantes em Juarez para o Centro de Defesa de Imigrantes de Las Americas, sediado em El Paso. “Nossa preocupação como advogados é que as pessoas não estejam tomando uma decisão realmente informada sobre voltar para casa”.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend