Papagaios fugitivos há mais de 30 anos fazem New Jersey de “lar”

Foto2 Papagaios Quaker  Papagaios fugitivos há mais de 30 anos fazem New Jersey de “lar”
Essa espécie de papagaio, conhecida como “Quaker” ou “Monk”, tipicamente não vive distante de onde nascem durante o período de longevidade de 15 a 20 anos

Atualmente, existem cerca de 200 aves vivendo livres em Edgewater (NJ)

Há mais de 30 anos, a cidade de Edgewater (NJ) tornou-se lar para papagaios selvagens nativos da Argentina. Como os pássaros chegaram ao local ainda é motivo de debate, pois muitos acreditam que se tratam de animais libertados acidentalmente num estaleiro em New York City, enquanto outros especulam que tratam-se de bichos de estimação que escaparam. A moradora Michelle Schotanus, de 50 anos, lembra-se de ter visto os animais verde brilhante pela primeira vez quando tinha 9 anos de idade.

“As pessoas ficam, ‘afinal das contas, o que eu acabei de ver?” Relatou.

Atualmente, existem cerca de 200 papagaios vivendo livres em Edgewater e ao longo das décadas se espalharam para Leonia, Palisades Park, Ridgefield, Englewood e outras cidades vizinhas, explicou Michelle.

Essa espécie de papagaio, conhecida como “Quaker” ou “Monk”, tipicamente não vive distante de onde nascem durante o período de longevidade de 15 a 20 anos, explicou Allison Evans Fragale, que administra a página “Save the Wild Quaker Parrots of New Jersey” no Facebook. Ele tornou-se defensor dos pássaros, que estão na lista de espécies potencialmente perigosas.

“Eles foram postos na lista quando chegaram porque o Departamento de Peixes & Vida Selvagem (DFW) não sabia que impacto eles provocariam”, disse ela.

Os pássaros são consideradas espécies invasivas, ou pestes na agricultura, tornando ilegal em New Jersey e muitos outros estados vende-los ou cria-los.

“Eles chegam à uma área, tomam conta e se reproduzem demais”, disse Jeff Tittel, diretor do New Jersey Sierra Club. “Eles expulsam os robins, pássaros tropicais de canto, sparrows, larks”.

“O que acontece é, isso desequilibra a natureza”, acrescentou.

Além disso, as aves são um problema a mais para as companhias de energia. No início desse ano, cerca de 500 pessoas ficaram sem energia elétrica quando um ninho dos papagaios fez com que um transformador aquecesse em excesso. Duas vezes ao ano, funcionários da PSE&G removem ninhos dos postes para evitar tais quedas de energia.

Os papagaios gostam de construir ninhos em postes elétricos porque o equipamento emana calor, ajudando-os a se adaptar e sobreviver num ambiente estranho, informaram especialistas. Entretanto, os pássaros constroem ninhos em árvores e outras estruturas, como uma torre de fora do Mariner’s Bank em Edgewater, onde pelo menos 3 ninhos foram vistos semana passada. Cada ninho pode abrigar entre 20 a 30 pássaros.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend