Patrulheiros confiscam US$ 1 milhão em heroína no Arizona

Foto6 Heroina confiscada Patrulheiros confiscam US$ 1 milhão em heroína no Arizona
Os agentes descobriram os pacotes das drogas no interior do porta-malas do veículo (Foto: CBP)

Os agentes da CBP foram alertados por um cão farejador no posto de entrada de Douglas, que faz fronteira com o México

O Departamento de Alfândega & Proteção de Fronteiras (CBP), no Arizona, informou que seus patrulheiros impediram o tráfico de mais de 37 libras (17 quilos) de heroína, avaliada em mais de US$ 1 milhão nos EUA. O órgão detalhou que a apreensão ocorreu na sexta-feira (12) no posto de entrada de Douglas, que faz fronteira com o México.

Na quarta-feira (17), agentes do CBP prenderam um mexicano, de 36 anos, depois de terem sido alertados por um cão farejador sobre algo escondido no porta-malas do sedan dirigido por ele. Além da heroína, os patrulheiros encontraram quase 4 libras (1.81 quilo) de cocaína avaliada em US$ 90 mil  e menos de meia libra (0.23 quilo) de fentanil avaliado em US$ 6 mil.

Na terça-feira (16), agentes da CBP prenderam um estrangeiro tentando embarcar em um voo no Aeroporto Internacional Luis Muñoz Marín, Porto Rico, para Fort Lauderdale, Flórida, usando documentos falsos. Yamirle Radhames Stephens Encarnación, natural da República Dominicana, apareceu pela primeira vez na quarta-feira (17) perante o Juiz Bruce McGiverin, sob a acusação de violação do Título 18, Código dos EUA, Seção 1546, por fraude e uso indevido de vistos, licenças e outros documentos.

“Aos estrangeiros presentes ilegalmente nos Estados Unidos e criminosos que pretendem utilizar documentos de Porto Rico para evitar a detecção pelas autoridades federais”, disse Edwin Cruz, Diretor do Porto de San Juan. “Nossos oficiais são treinados para detectar documentos fraudulentos e levar os impostores à justiça.”

Durante as inspeções de pré-embarque autorizada por lei federal, Encarnación alegou ser um cidadão dos EUA sob o nome de “Luís Michael Rijos” apresentando uma carteira de motorista, cartão do Seguro Social e certidão de nascimento, todos emitidos em Porto Rico. Os oficiais do CBP o encaminharam para um exame mais aprofundado, uma vez que os documentos que ele apresentou não pareciam ser legítimos. Uma inspeção posterior revelou a identidade dele. Ele revelou que comprou os documentos por aproximadamente US$ 1 mil e que planejava viver e trabalhar nos Estados Unidos.

A Procuradora dos EUA, Evelyn Canals, está encarregada do caso em nome da Procuradoria dos Estados Unidos no Distrito de Porto Rico. Se condenado, Encarnación enfrenta a pena de não mais de 10 anos de prisão, uma multa ou ambos.

 

Related posts

Comentários

Send this to a friend