Policial é acusado de molestar filha de imigrante indocumentada

Foto22 Jose Nunez Policial é acusado de molestar filha de imigrante indocumentada
José Nunez, de 47 anos, teria usado a posição dele de xerife interino para coagir a mãe indocumentada da menina de 4 anos (Foto: Escr. do xerife do Condado de Bexar)

José Nunez pode ser condenado a no mínimo 25 anos de prisão, caso seja considerado culpado de “agressão sexual com super agravantes”

Na segunda-feira (18), um xerife interino no Texas foi detido e acusado de “agressão sexual com super agravantes” envolvendo uma menina de 4 anos de idade. A mãe da suposta vítima, uma imigrante indocumentada, teria sido chantageada a manter silêncio sobre o abuso ou seria deportada. O oficial José Nunez, de 47 anos, que trabalhava no escritório do xerife do Condado de Bexar, foi preso na manhã de domingo (17), enquanto estava de folga, depois que a mãe levou a filha à uma estação local do Corpo de Bombeiros em busca de ajuda, informaram as autoridades durante uma coletiva de imprensa.

“Os detalhes do caso são francamente de partir o coração, perturbadores, nojentos e de enraivecer todos ao mesmo tempo”, disse o Xerife Javier Salazar, do Condado de Bexar.

A menina sofria dor física e “relatou o fato”, fazendo com que a mãe dela fosse à estação do Corpo de Bombeiros em busca de ajuda, detalhou Salazar. Ele acrescentou que José tem “laços familiares” com a mulher e a filha dela. Aparentemente, os abusos vinham ocorrendo há muitos meses, senão há anos, acrescentou o Xerife, e existe a possibilidade de novas vítimas.

“Este suspeito utilizou em vantagem dele para amedrontar a mãe de que ela seria deportada se o denunciasse”, disse Salazar, acrescentando que “a menininha está segura agora”.

O departamento está pedindo para que a mãe da vítima receba status de proteção especial durante o desenrolar do caso. Não foi informado se Nunez, que trabalha no escritório do Xerife há 10 anos, possui advogado de defesa. Caso seja considerado culpado, ele poderá ser condenado a no mínimo 25 anos de prisão.

“Eu não sei se ele focalizava propositalmente a comunidade indocumentada”, detalhou Salazar. “Certamente, o que era atraente foi a vulnerabilidade dessa comunidade, pois eles estão menos aptos a denunciar coisas”.

Grupos defensores dos direitos dos imigrantes disseram que a Proposta 4 do Senado do Texas, aprovada em 2017, criou uma atmosfera de ansiedade e apreensão entre os indocumentados que temem e relutam em denunciar crimes devido ao status migratório. Apesar dos apoiadores na nova lei alegarem que ela visa proteger as pessoas, pois faz vigorar as leis já instauradas, a legislação permite que as autoridades locais investiguem o status migratório das pessoas.

No domingo (17), o Refugee and Immigrant Center for Education & Legal Services (RAICES), o maior provedor de serviços legais de imigração no Texas, postou no Twitter em resposta ao caso no Condado de Bexar que a lei “tem horrorizado as pessoas e as motiva a não buscar ajuda quando necessitam”.

Related posts

Comentários

Send this to a friend